Registo de padrões utilizados em mantas alentejanas contestado

A Direção Regional de Cultura do Alentejo (DRCA) decidiu contestar o pedido de uma empresa para registar desenhos e padrões de tecidos têxteis por considerar que correspondem aos utilizados em mantas alentejanas.

Em comunicado, a DRCA revela ter apresentado uma reclamação junto do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) contra o requerimento para registo de 12 desenhos de padrões de tecidos têxteis de mantas por parte de uma empresa de Porto de Mós (Leiria), que “alega ser o inventor do desenho”.

“Constatou-se, no entanto, que os padrões em causa correspondem aos utilizados nas chamadas ‘Mantas do Alentejo’, produzidas, desde tempos imemoriais, em zonas do interior do Baixo Alentejo e Alentejo Central, nomeadamente em Mértola e Reguengos de Monsaraz”, justifica o organismo.

Segundo a DRCA, estas mantas tradicionais “são produzidas desde há séculos, fabricadas com lã e recurso a vários padrões e combinações de padrões, segundo o gosto, o domínio da técnica de cada tecedeira ou o gosto de quem encomendava, resultando em peças únicas”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima