PS quer ser a maior força política do distrito de Beja

PS quer ser a maior força

Quatro anos depois, CDU e PS têm novo “braço-de-ferro” agendado no distrito de Beja nas Autárquicas 2017 para ver quem conquista mais câmaras, assembleias municipais e juntas de freguesia. Os comunistas têm, para já, vantagem, com maioria em oito das 14 autarquias do Baixo Alentejo, mas entre os socialistas existe a expectativa que esse quadro possa vir a ser consideravelmente alterado no próximo dia 1 de Outubro.
“O nosso objectivo é ganhar o maior número de câmaras e ser a maior força da região”, assume sem rodeios o presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS, garantindo que uma das vantagens dos candidatos socialista face à oposição é colocarem “a sua terra à frente do partido”.
“O PS é um partido que não fica amarrado a preconceitos ideológicos. Pelo contrário, coloca os interesses das suas populações e das suas terras à frente”, afirma Pedro do Carmo.
Na sequência das Autárquicas de 2013 o PS ficou na gestão das câmaras de Aljustrel, Almodôvar, Ferreira do Alentejo, Mértola, Odemira e Ourique. Em 2017 o líder socialista espera ver esse número aumentado, ainda que sem indicar os concelhos onde o PS poderá ter mais possibilidades de derrotar a CDU.
“Aquilo que sei é que os candidatos do PS estão determinados a servir as populações. Isso tem-se notado ao longo da campanha e estou esperançado que isso traga bons resultados para mudar o paradigma da região”, sublinha.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima