PS e CDU criticam visita de Portas ao Alqueva

PS e CDU criticam visita

O PS do Baixo Alentejo e a CDU tecem duras críticas à visita que Paulo Portas e Assunção Cristas fizeram ao projecto do Alqueva em tempo de pré-campanha para as legislativas.
O vice-primeiro-ministro e a ministra da Agricultura visitaram esta terça-feira, 25, algumas obras e explorações agrícolas associadas ao projecto, o que para a Federação do Baixo Alentejo do PS “revela falta de decoro e oportunismo político”, assim como “uma forma encapotada de campanha antecipada”.
Em comunicado enviado ao “CA”, o PS lembra que o empreendimento de Alqueva “é hoje uma realidade devido ao esforço e empenho dos governos socialistas”, considerando que a presença de Paulo Portas nas obras de beneficiação da área de regadio de Alqueva, “acompanhado pela ministra do ambiente e pela candidata cabeça de lista pelo seu partido no distrito de Beja, demonstra falta de respeito pelos baixo-alentejanos, pela região e pelo futuro do interior do país”.
Já a CDU, também em comunicado, classifica a visita dos governantes ao Alqueva como “uma inaceitável utilização do aparelho de Estado para a promoção dos governantes do CDS e de propaganda eleitoral”.
“Estes governantes querem agora capitalizar politicamente com um projecto que durante muitos anos não defenderam e sobre o qual, em quatro anos, não disseram uma palavra sobre como, apesar do maior investimento público de sempre na região, o distrito de Beja ter perdido mais de três por cento dos residentes, ter mais 700 desempregados inscritos nos centros de emprego, e a dinâmica económica não ter chegado às empresas, como atesta a situação vivida pelo sector do comércio”, acrescenta a CDU.
Para os comunistas, “a utilização partidária do aparelho de Estado tem sido uma constante nos últimos tempos, quer com a visita recente do Presidente da República, também a Alqueva, ou a iniciativa realizada pelo Governo no aeroporto de Beja, com a presença da primeira candidata do PSD/ CDS pelo círculo eleitoral de Beja nas próximas eleições [Nilza de Sena], que não é nem deputada da comissão de obras públicas, nem eleita pelo distrito”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima