PS do Baixo Alentejo defende que aeroporto de Beja seja “prioridade”

PS do Baixo Alentejo defende que aeroporto de Beja seja “prioridade”

A Federação do Baixo Alentejo (FBA) do PS mantém a sua convicção no “valor” e “oportunidade” que o desenvolvimento do projecto do aeroporto de Beja representa para a região e para o país, defendendo a integração do equipamento no Plano Estratégico de Transportes e consequente dinamização de uma política “séria e adequada” de requalificação das suas acessibilidades rodoviárias e ferroviárias.
A posição dos socialistas baixo-alentejanos surge na sequência da reunião mantida esta segunda-feira, 10, ao final da tarde, com os responsáveis pelo grupo de trabalho do aeroporto de Beja, que foi liderado por João Paulo Ramôa e que no final da passada semana entregou o seu relatório preliminar sobre o futuro do projecto ao Governo.
Para a FBA, o documento vai de encontro à “argumentação” do PS em defesa do aeroporto de Beja, dado reconhecer, entre outros aspectos, que os pressupostos que justificaram a construção da infra-estrutura “estão correctos e ainda hoje se mantêm actuais” e que o desenvolvimento da sua componente industrial “foi priorizado” e “concretizado”, existindo 110 hectares de terrenos afectos a esse efeito, “com a infra-estruturação de 33 hectares, e com 13 lotes disponíveis para as empresas se instalarem”.
Lembrando que o aeroporto de Beja “é um projecto de desenvolvimento que o PS sempre defendeu e que teve os seus verdadeiros progressos, passando da teoria à prática, com os governos do PS”, os socialistas sublinham que a importância da infra-estrutura “ultrapassa o valor do desenvolvimento regional, constituindo-se como um pólo de dinamização económica nacional, com potencialidades de reforço das exportações”.
Daí exigirem que o aeroporto de Beja passe também a constar do Plano Estratégico de Transportes, considerando, nesse âmbito, ser essencial a requalificação e construção do IP8 em formato de auto-estrada, a requalificação do IP2 e a adequação das ligações ferroviárias de carga e de passageiros à realidade de existência de um aeroporto.
Quanto ao processo de privatização da ANA – Aeroportos de Portugal, o PS baixo-alentejano espera que a infra-estrutura bejense tenha um modelo específico a incluir no caderno de encargos do processo, “com obrigações concretas para o seu aproveitamento e desenvolvimento para o comprador da empresa”, justamente por ser “um projecto político de interesse para o desenvolvimento do território e do país”.
“A vontade de colocar em funcionamento o aeroporto de Beja é uma obrigação e uma competência do Governo, cujas responsabilidades e/ ou más vontades não pode escamotear”, remata o PS do Baixo Alentejo, defendendo “que a sua execução, rápida e sem ostracizações de agentes locais, deve ser uma prioridade do Governo e que a mesma deve constar nas obrigações do caderno de encargos do processo de privatização”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima