PS defende modernização da linha do Alentejo

Os deputados do PS eleitos por Beja entregaram na Assembleia da República um projecto de resolução em que recomenda ao Governo que sejam feitos investimentos na conclusão da modernização da linha ferroviária do Alentejo.

No diploma que recomenda ao Governo a modernização da Linha do Alentejo, Pedro do Carmo e Telma Guerreiro pretendem que a conclusão da sua electrificação seja incluída no Plano Ferroviário Nacional e que seja ainda assegurado “um serviço de passageiros que promova a coesão e reduza o isolamento dos concelhos do Alentejo”.

Os parlamentares recomendam ainda que o Governo “estude a viabilidade e o trajecto da ligação ferroviária ao aeroporto de Beja”.

No projecto de resolução, também subscrito pelos deputados de Évora Luís Capoulas Santos e Norberto Patinho, assim como pelo coordenador dos socialistas na Comissão de Economia, Hugo Costa, e o vice-presidente da bancada com a tutela desta área, Carlos Pereira, recorda-se que o “desinvestimento na rede ferroviária do Alentejo foi especialmente nítido durante os governos de Aníbal Cavaco Silva, com o encerramento de significativa parte da rede, e a perda das ligações a vilas e cidades importantes como Serpa, Moura, Reguengos de Monsaraz, Estremoz ou Montemor-o-Novo”.

Os deputados sublinham que tem havido uma “inversão desta tendência durante os governos do PS”, lembrando que, no âmbito do corredor internacional sul, que aproveita as valências do Porto de Sines com uma rápida ligação à Europa, “foi requalificada a linha do Alentejo no seu troço entre Bombel/Vendas Novas e Casa Branca, bem como o ramal de Évora entre Casa Branca e a capital de distrito”.

“Desinvestimento na rede ferroviária do Alentejo foi especialmente nítido durante os governos de Aníbal Cavaco Silva, com o encerramento de significativa parte da rede, e a perda das ligações a vilas e cidades importantes como Serpa, Moura, Reguengos de Monsaraz, Estremoz ou Montemor-o-Novo.”

Deputados do PS

Os parlamentares do PS apontam que este investimento, concluído em 2011, “permitiu a renovação de toda a linha naqueles troços, electrificação, instalação de novos sistemas de sinalização electrónica e controlo de velocidade e supressão de passagens de nível”, mas “deixou de fora a ligação a Beja”, ficando a população de Alvito, Cuba e Beja “com uma infra-estrutura degradada e um serviço de passageiros lento”.

Recorde-se que o Governo inscreveu no Programa Nacional de Investimentos 2030 a modernização do troço Casa Branca-Beja, com um prazo de conclusão máximo até 2025.

No entanto, para os deputados socialistas “é preciso afirmar a ligação a Beja como estratégica para o Alentejo e para o País, e como uma ligação estruturante da rede ferroviária nacional”, defendendo, nesse sentido, que a modernização e electrificação do troço Casa Branca-Beja-Funcheira seja inscrita no Plano Ferroviário Nacional que o Governo terá de apresentar à Assembleia da República durante o primeiro trimestre deste ano.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima