PRR apoia investimentos na Saúde em Ourique e Odemira

O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) vai financiar quatro investimentos na área da saúde nos concelhos de Ourique e de Odemira, através das unidades locais de saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) e do Litoral Alentejano (ULSLA), num montante total de quase 5,8 milhões de euros.

O aviso-convite do PRR foi aberto no passado dia 8 de julho e visa apoiar a construção de novas unidades/polos de saúde, com necessidades de energia primária pelo menos inferiores em 20% ao padrão NZEB, para substituir edifícios desadequados.

Entre os diversos projetos elencados por todo o país surgem a construção do Centro de Saúde de Ourique, com um apoio total de 2,5 milhões de euros, e o novo Serviço de Urgência Básica (SUB) de Odemira, com um financiamento de 1.763.414,63 euros.

O PRR vai ainda financiar mais duas obras no concelho de Odemira: a construção da nova Extensão de Saúde de Vila Nova de Milfontes, com uma verba de 1.207.317,07 euros, e a requalificação e ampliação da Extensão de Saúde de Sabóia, com 364.430,89 euros.

“É uma boa notícia”, pois trata-se de “uma obra fundamental para as necessidades na área da saúde no concelho de Ourique”, diz autarca ouriquense, Marcelo Guerreiro

Em declarações ao “CA”, o presidente da Câmara de Ourique não escondeu a satisfação pela inclusão do futuro Centro de Saúde da vila nos equipamentos financiados pelo PRR.

“É uma boa notícia”, pois trata-se de “uma obra fundamental para as necessidades na área da saúde no concelho de Ourique” e um projeto “importante e estruturante para o concelho” pelo qual “temos batalhado ao longo dos anos”, frisa Marcelo Guerreiro.

O edil mostra-se ainda agradado com o valor consignado pelo PRR para este investimento, recordando que, no passado, “já tinha sido conseguido financiamento para o Centro de Saúde de Ourique”, tendo os concursos públicos de então – um no valor de 1 milhão 250 mil euros e outro acima de 1,5 milhões de euros – ficado “desertos”.

“Temos a expetativa que este possa ser um valor [2,5 milhões de euros] que atraia as empresas de construção a concorrer”, mas “a experiência dos últimos tempos diz-nos que devemos ser cautelosos”, diz o autarca.

Ou seja, conclui, “o que temos neste momento é a confiança que, com muita persistência, este projeto se vai materializar”.

“Temos identificadas no terrenos as principais necessidades do concelho do ponto de vista das infraestruturas para uma melhor resposta às populações”, afiança edil de Odemira, Hélder Guerreiro

Já o presidente da Câmara de Odemira aplaude a abertura deste aviso, destacando o trabalho de “muita proximidade” que a autarquia tem vindo a realizar com a ULSLA para dar resposta a “reivindicações antigas” da população.

“Temos identificadas no terrenos as principais necessidades do concelho do ponto de vista das infraestruturas para uma melhor resposta às populações. E neste caso, a própria ULSLA fez as candidaturas, tendo o nosso apoio não só do ponto de vista técnico, mas também apoio naquilo que faltar do ponto de vista das necessidades para as diferentes candidaturas”, afiança Hélder Guerreiro ao “CA”.

O autarca odemirense diz que, no caso do SUB de Odemira, será possível “fazer uma intervenção forte de remodelação e readaptação do atual Centro de Saúde, contando com toda a parte que está agora afeta às Urgências, o que permitirá um acréscimo muito relevante dos serviços de saúde no território”.

Já a nova Extensão de Saúde de Vila Nova de Milfontes vai permitir a esta freguesia “ter cuidados de saúde de excelência do ponto de vista do espaço físico, conclui Hélder Guerreiro.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima