Produtores de borregos do Baixo Alentejo com menos lucro na Páscoa 2012

Produtores de borregos do Baixo Alentejo com menos lucro na Páscoa 2012

Nesta quadra da Páscoa, quando o borrego é "rei" à mesa dos alentejanos, a procura de borregos está a ser semelhante à de 2011, mas os lucros dos produtores são menores, devido ao aumento dos custos de produção.
No caso do Baixo Alentejo, e apesar da crise, a procura de borregos nesta época de Páscoa também está a ser "semelhante" à de 2011, mas este ano "está a vender-se um pouco menos", porque "a oferta disponível é menor", disse à Lusa Miguel Madeira, da associação ACOS – Agricultores do Sul.
"Há menos borregos disponíveis para venda, porque os efectivos de pequenos ruminantes", como os ovinos, "estão a diminuir a uma velocidade preocupante" na região, explicou.
Segundo Miguel Madeira, ajudas comunitárias inferiores às disponíveis para bovinos, as "maiores exigências de mão-de-obra" e a "tremenda carga burocrática" associada às explorações de pequenos ruminantes levam os produtores pecuários, sobretudo os mais velhos e de baixa escolaridade, a abandonar a criação de ovinos e a virarem-se para os bovinos.
Por outro lado, este ano, as margens de lucro dos produtores pecuários são "mais baixas", porque o preço do borrego é "praticamente o mesmo de 2011", ou seja, cerca de cinco euros por quilograma de carcaça, mas "aumentaram os custos com todos os fatores de produção", frisou.
O preço do gasóleo aumentou e, devido à falta de pastagens, provocada pela seca, os produtores tiveram "custos acrescidos" para alimentar o gado, já que foram "obrigados" a comprar rações, cujos preços também "aumentaram", explicou.
"Tudo isto encarece a produção de borregos, que estão a ser vendidos ao mesmo preço do ano passado e, por isso, as margens de lucros dos produtores são mais baixas", sublinhou Miguel Madeira.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima