Prisão preventiva para suspeito de atear incêndio nas instalações do Fluvial Odemirense

O alemão de 35 anos suspeito da autoria do incêndio que na madrugada de sábado, 9, destruiu as instalações do Clube Fluvial Odemirense (CFO), em Odemira, vai aguardar julgamento em prisão preventiva.

O suspeito foi presenta na segunda-feira, 11, ao Tribunal de Odemira, que decretou a sua prisão preventiva pela prática de crime de incêndio ilícito, tendo sido encaminhado para o Estabelecimento Prisional de Beja.

O alerta para o incêndio nas instalações do CFO foi dado às 5h37 de sábado e, para o local foram mobilizados 14 operacionais, auxiliados por seis viaturas e elementos da GNR.

Ainda no mesmo dia, a Polícia Judiciária anunciou a detenção, através do seu Departamento de Investigação Criminal de Portimão, de um cidadão alemão, de 35 anos, “por fortes indícios” da prática do crime de incêndio ocorrido em Odemira.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima