Presidentes de Câmara analisam falta de respostas do Governo para a A26 e IP2

Presidentes de Câmara analisam falta

Depois de uma reunião totalmente inconclusiva com o secretário de Estado dos Transportes, os presidentes de câmara dos municípios que integram a CIMBAL reúnem nesta sexta-feira, 5, às 10h00, em Beja, para definirem as medidas a tomar em relação à paragem das obras na A26 e no IP2.
Segundo apurou o "CA" os autarcas preparam-se para tomar medidas no sentido de exigir a conclusão das obras com a maior urgência.
Recorde-se que estão em falta as obras de requalificação do IP2, entre São Manços e Castro Verde, e de construção de lanços do IP8/ A26, entre Sines e Santa Margarida do Sado.
Os municípios pretendiam que esta via fosse construída entre Sines e Beja, mas como foi cancelada a construção dos lanços entre Santa Margarida do Sado e Beja exigem, em alternativa, a requalificação do IP8, aproveitando infra-estruturas já construídas no âmbito das empreitadas nos troços cancelados.
No passado mês de Maio, a Estradas de Portugal (EP) anunciou que chegou a acordo com a concessionária da subconcessão do Baixo Alentejo.
Segundo informação da EP divulgada na altura, o acordo iria permitir o reinício, em Julho, das obras de construção dos lanços do IP8 entre Sines e Relvas Verdes e entre o IC1 e Santa Margarida do Sado, assim como dos troços do IP2 entre São Manços e Castro Verde.
Citada pela Agência Lusa em Agosto, a EP esclareceu que, conforme o anunciado em Maio, "a subconcessionária previu o reinício das obras para Julho".
“A EP nunca garantiu o reinício das obras nesta data” e, por isso, “essa responsabilidade é integralmente da concessionária”, frisou, confirmando que o reinício das empreitadas por parte da SPER “está atrasado”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima