Presidente do Conservatório lamenta saída de Odemira

Presidente do Conservatório

O presidente do conselho executivo do Conservatório Regional do Baixo Alentejo (CRBA) espera que a Câmara de Odemira reconsidere a decisão de abandonar a instituição.
“Tratando-se de um projecto regional, a intenção era que todas as câmaras do Baixo Alentejo se mantivessem associadas no CRBA”, argumenta ao “CA” José Filipe Guerreiro, admitindo que a instituição fica “fragilizada” com mais esta saída de um município.
“Do ponto vista financeiro também podemos falar dessa questão, mas é do mais do ponto de vista ideológico que fica fragilizado. E ficará ainda mais fragilizado sempre que qualquer associado pretender sair”, acrescenta.
O pedido de saída da Câmara de Odemira do CRBA foi decidido pela autarquia em Dezembro e terá ainda de ser avaliado pelo conselho de administração da instituição, liderado pela Câmara de Beja. Até lá, José Filipe Guerreiro espera que a edilidade do Litoral Alentejano volte atrás na sua decisão.
“Gostaria que o assunto fosse pensado e tratando-se do projecto que é, era importante que a Câmara de Odemira se mantivesse como até aqui”, justifica.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima