Presidente da FAABA duvida da conclusão do Alqueva em 2015

Presidente da FAABA duvida da

O presidente da Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA) não acredita que o projecto do Alqueva fique concluído em 2015, como prometido.
“Com o andar da carruagem, mesmo com a promessa do chefe do Governo a dizer que em 2015 tudo estava pronto, não acreditamos. Porque as obras estão atrasadas e tudo anda com um ritmo muito lento”, diz ao “CA” Manuel Castro e Brito.
Além do mais, continua o presidente da FAABA, a indefinição relativamente ao futuro do empreendimento faz com que haja investimentos “feitos no terreno à espera da água que era para chegar em 2013”.
Bastante crítico, Castro e Brito garante ainda que o empreendimento de fins múltiplos não é a solução para todos os males da agricultura do Baixo Alentejo, apesar da ministra Assunção Cristas ter defendido recentemente, durante uma visita à região, que a reconversão da actividade poderia potenciar mais investimento estrangeiro.
“Não podemos embandeirar em arco, porque vamos ter 110 mil hectares de regadio para uns largos milhares de superfície agrícola”, justifica o dirigente, que vê poucas alternativas para as cada vez menos competitivas culturas de sequeiro.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima