Presidente da CM Ourique exige melhor serviço dos CTT

Presidente da CM Ourique

O presidente da Câmara de Ourique aproveitou o encontro, no final da passada semana, do presidente da Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM), João Cadete Matos, com os autarcas da região para defender defender “a urgência da distribuição do correio e do serviço postal respeitar mínimos de qualidade e regularidade em função das necessidades das populações”.
“De forma reiterada, tem-se assistido a uma degradação do serviço postal prestado, com distribuições irregulares de correspondência que implicam a receção de documentos fora de prazos, com as consequentes penalizações e a exasperante espera dos cidadãos pela reforma ou pela pensão”, sublinha Marcelo Guerreiro em declarações ao “CA”.
Segundo o autarca, “em Ourique, por razões que se prendem com a exiguidade dos recursos humanos disponibilizados, pela redução das rondas de distribuição ou por outras razões de natureza logística, operacional ou financeira, é hoje claro que a entrega da correspondência ultrapassa os prazos razoáveis, sendo demasiadas vezes frequente a chegada da correspondência além dos calendários estabelecidos para a liquidação de valores decorrentes da prestação de serviços relevantes para a vida das pessoas”.
“Esta situação é extensível à distribuição dos documentos de suporte ao pagamento de prémios, remunerações, pensões, reformas e notificações que assumem uma enorme gravidade para as posições individuais e para os ritmos comunitários”, acrescenta Marcelo Guerreiro.
Na opinião do edil ouriquense, existe neste momento “uma insustentável falta de respeito pela população e pelo território por parte da concessionária na prestação de um serviço público”. “No serviço postal universal como na Televisão Digital Terrestre (TDT) ou na cobertura de rede 5G é fundamental que todas as populações e todos os territórios em espaço nacional tenham o mesmo nível de respeito do Estado Central, dos eeguladores e das empresas concessionárias. Não pode haver nenhum tipo de discriminação em função do local onde vivemos, mas está a acontecer”, diz Marcelo Guerreiro.
Sobre a TDT, Marcelo Guerreiro informou o presidente da ANACOM que em certas zonas do concelho, nomeadamente Aldeia dos Palheiros, Favela e Fernão Vaz, entre outras, “o sinal cai muito frequentemente, ficando a população sem TV por largos períodos”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima