Pedro do Carmo. Mundo rural precisa de “respostas justas” da Europa

O presidente da Comissão Parlamentar de Agricultura e Mar (e deputado do PS eleito por Beja) considera que “a realidade concreta das pessoas e dos territórios rurais precisam de respostas justas, sustentáveis e adequadas à diversidade das realidades” por parte da Europa.

“Não há nenhuma razão válida para que as políticas europeias e os instrumentos de apoio não respondam aos desafios estruturais e as novas realidades. Não respondam às pessoas e aos territórios. É possível transformar a vida das pessoas, as atividades económicas e os territórios, como fizemos com o projeto do Alqueva”, advogou Pedro do Carmo.

O deputado falava na conferência interparlamentar sobre desenvolvimento rural, agricultura e coesão territorial na União Europeia, que decorreu na quarta-feira, 16, na Assembleia da República com a participação de deputados nacionais e de membros do Parlamento Europeu, assim como as ministras da Coesão Territorial e da Agricultura e os comissários europeus da Coesão e Reformas e da Agricultura.

Na sua intervenção, Pedro do Carmo lembrou ainda que, “quando foi preciso manter as cadeias de abastecimento alimentar” durante a pandemia, “os nossos produtores disseram presente, sem hesitações, embora tivessem sofrido os impactos negativos da redução das dinâmicas humanas e dos condicionamentos impostos a setores com relevância para o escoamento da produção agroalimentar”.

O deputado baixo-alentejano afirmou igualmente que “a agricultura e o mundo rural fazem parte das nossas identidades” e “disseram presente aos desafios da pandemia e têm todas as condições para fazer parte do nosso esforço de futuro”.

“Um futuro em que temos de conjugar tradição com inovação e sustentabilidade, de valorizar a sustentabilidade e o desenvolvimento rural como fatores de promoção da demográfica nos territórios, de dinamizar a capacidade produtiva local, nacional e europeia como pilares da nossa resiliência perante os riscos”, defendeu.

“A agricultura e o mundo rural fazem parte das nossas identidades” e “disseram presente aos desafios da pandemia e têm todas as condições para fazer parte do nosso esforço de futuro.”

Pedro do Carmo | deputado do PS eleito por Beja

Na opinião de Pedro do Carmo, “tem de haver uma preocupação com a sustentabilidade das pessoas nos territórios rurais, com investimentos que contribuam para a produção de bens de qualidade, a criação de postos de trabalho, a fixação de populações e os novos equilíbrios ambientais”.

“O mundo rural tem futuro e quer fazer parte da construção do futuro. Conjugar a coesão, a renovada Agenda Rural e novas soluções de Política Agrícola Comum são fundamentais para a sustentabilidade e para que existam instrumentos que não deixem ninguém para trás”, acrescentou.

O eleito socialista disse ainda que “a Europa e os seus Estados-membros precisam de toda a capacidade produtiva do mundo rural, de pequenos e grandes agricultores, de pequenas e grandes produções, para enfrentar os desafios de sempre e as novas realidades”.

“Não deixar ninguém para trás” e “fazer tudo pelo reforço da coesão e a inversão de tendências negativas do mundo rural são apenas dois dos grandes desafios. Precisamos de estar sintonizados com as pessoas e com os territórios rurais”, rematou Pedro do Carmo.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima