Peçamodôvar cresceu em 2016

Peçamodôvar

A empresa Peçamodôvar, de Almodôvar, está no mercado das peças e acessórios automóveis e das máquinas agrícolas há 14 anos e em 2016 acabou por registar números bastante positivos.
“O ano de 2016 foi excelente! Nunca tínhamos vendido tanta máquina como em 2016, foi o nosso melhor ano em termos de venda de máquinas e de peças para a área agrícola”, reconhece ao “CA” Henrique Revés, 47 anos, que gere a empresa juntamente com o seu cunhado, Luís Fernandes, de 48 anos.
De acordo com o empresário, o incremento do volume de vendas em 2016 – que rondou os 1,5 milhões de euros – deve-se em grande medida ao facto de a Peçamodôvar ter aumentado o leque de representações de marcas de máquinas agrícolas. Tomix, Joper, Alfaias do Ribatejo, Ramoa e Vicon juntaram-se à GALP Agrícola e à Galucho no portefólio da empresa, permitindo a conquista de novos clientes.
“Temos tido um crescimento contínuo e todos os anos facturamos um bocadinho mais. Em 2016 notámos mais esse crescimento por causa das máquinas [agrícolas], tanto que até pusemos mais duas pessoas”, sublinha Henrique Revés, anotando desde logo uma “particularidade”: “No sector automóvel temos crescido de Almodôvar para fora. E na área agrícola tem sido ao contrário”.
“Temos crescido desde a zona de Alcácer do Sal, Torrão e Comporta para a zona mais a sul. Já chegámos à zona de Grândola, nas zonas de Ferreira do Alentejo e de Aljustrel temos vindo a crescer e ultimamente temos sentido esse crescimento no sector agrícola também em Ourique, Castro Verde, Mértola, Almodôvar e até parte do Algarve”, explica.

Sempre a crescer
A Peçamodôvar nasceu em Almodôvar no ano de 2001 e desde então tem sido sempre a crescer. A empresa conta actualmente com cinco funcionários (entre os quais os dois sócios-gerentes) e gere uma carteira de mais de 450 clientes activos. Números que Henrique Revés considera “excelentes” e que pretende manter em 2017.
“O nosso grande desafio é mantermos a proximidade com os clientes e continuarmos a ser competitivos. E iremos continuar a privilegiar a honestidade e a sinceridade. Se dizemos a um cliente que amanhã estamos lá, não falhamos e isso faz a diferença”. Quando nos comprometemos por vezes até podemos prejudicar um bocadinho o negócio, mas não falhamos. E é isso que tem feito a diferença”, assume o sócio-gerente.
O empresário revela ainda que outros dos “trunfos” da Peçamodôvar tem sido privilegiar uma relação próxima com os seus clientes, que vão dos arrozais do Alentejo Litoral até ao interior serrano do Algarve, passando… pelos Açores.
“Quando houve a grande crise de 2012-2013, muitas empresas desinvestiram e tiraram os comerciais da rua. Nós não! Apostámos em manter a proximidade com os clientes e isso fez muita diferença”, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima