PCP e PSD trocam críticas sobre perda de população no Alentejo

KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O PCP considera a perda de população no Alentejo, confirmada pelos resultados definitivos dos Censos 2021, divulgados recentemente, tem como “responsáveis” o PS, PSD e CDS-PP, mas os sociais-democratas consideram acusação de “um atrevimento e cobardia atroz”.

Em comunicado enviado ao “CA”, a Direção Regional do Alentejo (DRA) do PCP afirma que a “acentuação da tendência de erosão demográfica na região” tem causas, nomeadamente a “falta de investimento numa base diversificada de atividades económicas e possibilidades de criação de emprego estável e com direito que impeçam o êxodo para os grandes centros urbanos e para o estrangeiro”.

“É tempo de acabar com mentiras, hipocrisia e promessas vãs. O despovoamento do Alentejo tem responsáveis e esses são o PS, o PSD e o CDS que prosseguem há décadas políticas altamente lesivas do interesse da região Alentejo e do seu povo”, acrescentam em tom crítico os comunistas.

Na resposta, e também em comunicado enviado ao “CA”, a Distrital de Beja do PSD afirma que a acusação do PCP “é de um atrevimento e cobardia atroz”.

“O PCP que durante décadas foi força hegemónica no distrito de Beja e suportou o governo socialista durante seis longos anos, garantindo o seu apoio parlamentar, o que fez pela região?”, questionam os sociais-democratas, acrescentando: “O que ganhou o Baixo Alentejo com as lideranças locais e com o peso que ganhou no poder central, por via da constituição da geringonça? Uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma”.

Tudo isto leva o PSD a concluir que o PCP, “queira ou não, tem a sua marca associada à inércia, à incapacidade de acrescentar e à conduta ideológica de atrasar”.

Opinião

Napoleão Mira

20 de Janeiro, 2023

O Codex 632

Carlos Pinto

20 de Janeiro, 2023

Habitação, um problema sério

Carlos Pinto

6 de Janeiro, 2023

Saúde débil

Vitor Encarnação

6 de Janeiro, 2023

Ano Novo

Carlos Pinto

16 de Dezembro, 2022

Marcelo, o “omnipresente”

Napoleão Mira

16 de Dezembro, 2022

Leve-Leve

Anterior
Seguinte

EM DESTAQUE

ULTIMA HORA

Role para cima