PCP denuncia mau estado da estrada entre Ervidel e Negrilhos

PCP denuncia mau estado da

O PCP está preocupado com o estado “calamitoso” da estrada municipal entre Ervidel e São João de Negrilhos, provocado pelas obras do projecto de regadio do Alqueva.
Devido a obras de construção de blocos de rega do Alqueva, que decorrem na freguesia de Ervidel, "as vias nacionais e municipais" que atravessam a zona "têm vindo a degradar-se de forma acelerada", refere a concelhia de Aljustrel do PCP, num comunicado enviado à Agência Lusa.
"Prova disso" é a "destruição" e o estado "calamitoso" da Estrada Municipal (EM) 527, entre Ervidel e São João de Negrilhos, refere o PCP, alertando que é "uma verdadeira aventura" percorrer "alguns quilómetros" da via "sem pôr em perigo a segurança dos veículos e a integridade física dos passageiros".
Valetas, bermas e aquedutos destruídos e consequente formação de bolsas e lençóis de água, sinalização vertical e horizontal degradada e lamas em vários troços do percurso, "tornando-o extremamente escorregadio", são sinais do estado "calamitoso" da EM 527 apontados pelo PCP.
Trata-se de "um verdadeiro atentado ao património público", considera o PCP, lembrando que a EM 527, uma "via estruturante" para o concelho, "há poucos anos, foi totalmente recuperada pelo município de Aljustrel, num investimento de cerca de um milhão de euros".
Apesar de referir que as obras são "bem-vindas" e "concorrerão para uma maior valia no panorama da agricultura" do concelho de Aljustrel, o PCP critica "a forma pouco cuidada" como está a decorrer a empreitada, a cargo da Empresa de Desenvolvimento e Infraestrutura do Alqueva (EDIA).
Os comunistas responsabilizam os "executores" das obras "por eventuais danos materiais e consequências para a integridade física" dos utilizadores e querem saber "quem se responsabiliza" pela reparação da EM 527.
Contactada pela Lusa, fonte da EDIA disse que a empresa, quando as obras terminarem, "irá repôr os acessos de acordo com a situação inicial, tal como tem acontecido noutras situações idênticas".

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima