PCP critica Governo pelo “dramático aumento do desemprego e da pobreza" no Alentejo

PCP critica Governo pelo “dramático aumento do desemprego e da pobreza" no Alentejo

O PCP acusa o Governo de provocar o “agravamento” da desertificação, “ruína” da economia e o “dramático aumento do desemprego e da pobreza" no Alentejo com a proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2013.
Em comunicado enviado à Agência Lusa, a Direcção Regional do Alentejo (DRA) do PCP alerta que a proposta de OE para 2013 significará, para o Alentejo, o “agravamento do rumo de desertificação e abandono do território e das populações e a ruína generalizada da economia regional”.
Para os comunistas, a proposta de OE vai significar também um “dramático aumento do desemprego e da pobreza, numa região que há muitos anos sente todos estes problemas nacionais de forma agravada”.
O PCP diz ainda que os seus deputados eleitos pelo Alentejo, João Oliveira (Évora) e João Ramos (Beja), questionaram vários membros do Governo sobre os impactos da proposta de OE no Alentejo, considerando essas políticas de “desastre e ruína”.
“Questões como o corte de 23,5% no orçamento da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, os cortes nos orçamentos das instituições de ensino superior e a concretização de investimentos estruturantes para a região (como a conclusão do regadio de Alqueva e a construção ou conclusão dos IP2, IP8 e IC33)", foram algumas das questões levantadas pelos deputados.
A ligação ferroviária Sines-Espanha, o restabelecimento do transporte ferroviário no Ramal de Cáceres e na Linha de Leste, a construção do novo Hospital Central em Évora, a construção da barragem do Pisão ou a proposta de encerramento de tribunais foram outras questões suscitadas pelo PCP.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima