Operários da Kemet Electronics esperam impedir despedimento

Operários da Kemet Electronics

O delegado sindical na fábrica de Évora da Kemet Electronics, Hugo Fernandes, está convencido de que os trabalhadores da unidade fabril têm um “argumento muito forte” para impedir o despedimento colectivo de 127 operários.
“Temos documentos internos da empresa com datas e materiais que foram deslocalizados para o México”, que são “um argumento muito forte na mesa das negociações”, afirma o também dirigente do Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul e Ilhas (SIESI).
Hugo Fernandes afiança que “esses documentos demonstram que o que está escrito nos fundamentos” do processo de despedimento colectivo na Kemet Electronics “não corresponde à verdade”.
“Há três ou quatro anos que a empresa deslocaliza mensalmente produtos, que deixam de ser fabricados em Évora e passam a ser feitos no México”, diz o sindicalista.
Segundo o delegado sindical, a multinacional norte-americana Kemet Electronics pretende avançar com o despedimento colectivo de 127 dos cerca de 310 trabalhadores da unidade fabril alentejana e encerrar uma das linhas de produção a 30 de Junho para a deslocalizar para o México.
O responsável insiste que “o que está por detrás do despedimento colectivo é uma deslocalização”, que “não é figura legal para um despedimento colectivo”, referindo que a empresa “recebeu muitos milhões de euros de apoio, desde o poder central ao poder local”.
Hugo Fernandes adianta que está marcada para esta quinta-feira, 20, a primeira reunião de negociação, em que vão participar membros da comissão sindical, da comissão representativa, da direcção da empresa e da Direcção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT).
Em comunicado enviado à Agência Lusa, a Comissão Coordenadora Distrital de Évora do Bloco de Esquerda (BE) repudiou as intenções da Kemet Electronics, manifestando apoio e solidariedade aos trabalhadores da fábrica.
“É inadmissível que, mais uma vez, os interesses do capital se sobreponham aos interesses das pessoas, não mostrando qualquer preocupação pelos trabalhadores e famílias que afeta com as suas decisões”, pode ler-se no documento do BE de Évora.
Também em comunicado, a Câmara de Évora (CDU) manifestou-se “muito preocupada” com a situação dos mais de 120 trabalhadores da fábrica da cidade da Kemet Electronics alvo de despedimento colectivo.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima