Odemira inicia “Orçamento Participativo 2021”

A Câmara de Odemira inicia neste mês de abril um novo processo de “Orçamento Participativo” (OP), que em 2021 volta a ser “totalmente desmaterializado” e tem uma dotação global de 300 mil euros para as propostas de âmbito municipal “de natureza material e imaterial”.

Segundo a autarquia, a fase de apresentação de propostas do OP 2021 vai decorrer até ao dia 30 de Junho, sendo que, após a análise técnica, a fase de votação terá lugar durante os meses de outubro e novembro.

Podem participar no OP de Odemira em 2021 “todos os cidadãos a partir dos 14 anos de idade, residentes, trabalhadores ou estudantes no concelho”.

O processo conta com uma dotação de 300 mil euros, dos quais 150 mil euros são para os projetos promovidos nas freguesias do interior do concelho com população inferior a 1.500 habitantes e os restantes 150 mil euros para projetos nas freguesias do litoral e/ou com população superior a 1.500 habitantes.

A Câmara de Odemira explica que podem ainda ser apresentados “projetos transversais ao território”, sublinhando que cada proposta, material ou imaterial, “não deve ultrapassar o valor de 75 mil euros”.

Devido à pandemia da Covid-19, o processo de OP em 2021 volta a ser “100% desmaterializado”, ou seja, “as propostas devem ser apresentadas exclusivamente em formato digital, através da página online www.op.cm-odemira.pt e será realizado um Encontro de Participação digital, através de sistema de videoconferência”.

“A votação será efectuada também através SMS e da página online dedicada ao processo”, acrescenta a autarquia.

Em 2021 são elegíveis para o OP projetos apresentados nas áreas de competência do município, “que incidam em reabilitação urbana e urbanismo, espaço público e espaços verdes, ambiente e alterações climáticas, saneamento e higiene urbana, infraestruturas viárias, trânsito e mobilidade, proteção civil; turismo, comércio e promoção económica, educação e juventude, desporto, ação social e saúde, cultura e modernização administrativa”.

Dinamizado de forma ininterrupta desde 2011, o OP de Odemira é “o mais antigo e ininterrupto processo participativo do país”, integrando a estratégia do município “para potenciar a participação pública, através de fatores positivos e construtivos, baseados em princípios de proximidade, transparência e oportunidade”.

Nesse sentido, e numa lógica de “Odemira concelho 100% OP”, decorrem em simultâneo com o OP Municipal os processos de OP das freguesias, para os quais a autarquia atribui o valor de 10 mil euros para cada uma das 13 juntas de freguesia.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima