Novo autarca de Sines quer baixar impostos

Novo autarca de Sines

O presidente eleito da Câmara Municipal de Sines, o socialista Nuno Mascarenhas, tem como prioridades a redução da carga fiscal sobre os munícipes e a realização de pequenas obras nos bairros.
O autarca indica, em declarações à Agência Lusa, que o novo executivo autárquico socialista pretende desenvolver “políticas muito centradas nas pessoas”, sendo uma delas a redução, ao longo do próximo mandato de quatro anos, da “carga fiscal que incide sobre as pessoas”.
“Essa foi uma das nossas promessas eleitorais”, frisa, sustentando que, para “desagravar a carga fiscal, tanto a nível do IMI como do IRS”, é necessário “um plano muito bem estruturado, que passará, obviamente, por diminuir as despesas”, nomeadamente com os créditos bancários.
Segundo Nuno Mascarenhas, a Câmara Municipal de Sines tem “encargos regulares” com dois programas de recuperação de dívida, sendo o mais recente o Programa de Apoio à Economia Local (PAEL), com o objectivo de saldar dívidas vencidas há mais de 90 dias, e um “endividamento superior a 22 milhões de euros”.
“A grande questão que aqui se coloca tem a ver muito com o PAEL. Estamos a falar de um pagamento faseado em 14 anos. Se nós conseguíssemos antecipar esses pagamentos e libertar-nos dessa obrigação, seria, sem dúvida, muito importante para o município”, explica.
O autarca, vereador sem pelouros desde 2005, refere que os socialistas estão “cientes das dificuldades que a Câmara atravessa em termos financeiros”, devido a uma auditoria realizada “recentemente” pela Inspecção Geral de Finanças.
Só depois de analisarem “em pormenor” os documentos, afirma, será possível “dizer se valerá a pena ou não pedir mais alguma auditoria”.
O próximo executivo pretende também “ter uma nova visão daquilo que deverá ser o concelho de Sines nos próximos anos”, destaca Nuno Mascarenhas, de 45 anos.
“Para isso, vamos apostar em obras de proximidade, como foi a tónica do nosso programa. Fazer as pequenas obras nos bairros, que são necessárias e fundamentais para a vida dos cidadãos”, diz.
O autarca socialista refere ainda a intenção de “projectar o nome de Sines através da atracção de grandes eventos turísticos”, com o objectivo de atrair “mais visitantes à cidade e ao concelho e, desta forma, poder dinamizar o tecido empresarial”.
A Câmara do Litoral Alentejano é dirigida, desde 1997, por Manuel Coelho, eleito nos três primeiros mandatos pela CDU e no actual pelo movimento independente Sines Interessa Mais (SIM), que não se podia recandidatar.
O actual executivo municipal é formado por quatro eleitos do SIM, dois do PS e um da CDU.
Nas eleições autárquicas de 29 de Setembro, o PS conquistou o Município, que havia sido sempre comunista até 2009, com maioria absoluta.
O novo executivo da Câmara de Sines é formado por quatro eleitos do PS, dois do SIM e um da CDU, tendo tomado posse no sábado, 12.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima