Movimento de cidadãos quer travar candidatura de Sebastião em Beja

Movimento de cidadãos quer travar

Sete acções populares foram interpostas para impedir candidaturas de autarcas do PSD nas eleições deste ano, entre as quais a de António Sebastião à Câmara de Beja.
“Queremos prevenir a concretização de candidaturas ilegais, uma vez que na nossa óptica as mesmas violam a lei” de limitação de mandatos, explicou à Agência Lusa o vice-presidente do Movimento Revolução Branca, Pedro Pereira Pinto.
Segundo o movimento, a lei que estabelece limites à renovação sucessiva de mandatos dos presidentes dos órgãos executivos das autarquias impede também as candidaturas de Luís Filipe Menezes ao Porto, de Fernando Seara a Lisboa, de Fernando Costa a Loures, de Francisco Amaral a Castro Marim, de Pedro Lancha a Estremoz e de José Estevens a Tavira.
Nas acções pede-se aos juízes dos tribunais que se declare impedido o candidato de concorrer à câmara e que se determine que o PSD não possa apresentar qualquer outro cidadão que tenha ultrapassado o limite de três mandatos imposto pela lei.
Pedro Pinto Pereira esclareceu à Lusa que o facto de estas acções incidirem apenas sobre candidatos do PSD deve-se ao facto de “serem para já o único partido que aprovou as candidaturas de autarcas que não podem concorrer, pela lei,”, sublinhando que “assim que qualquer outro partido faça o mesmo, terá que se avançar de novo para os tribunais”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima