Ministra da Cultura em Beja para assinatura do contrato para as obras no Museu Regional

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, vai estar em Beja nesta quarta-feira, 24, para a cerimónia de assinatura do contrato da empreitada de valorização e conservação do edifício do Museu Regional Rainha D. Leonor.

A iniciativa está agendada para as 11h00 e contará igualmente com a presença da secretária de Estado adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira.

Tal como o “CA” avançou no final de outubro, as obras de valorização e conservação do Museu Regional Rainha D. Leonor, em Beja, representam um investimento avaliado em cerca de 1,7 milhões de euros, que tem apoio comunitário.

A empreitada é promovida pela Associação Portas do Território, que reúne a Câmara de Beja, a Diocese de Beja e a Misericórdia de Beja.

As obras deverão prolongar-se por 18 meses, incluindo a requalificação de coberturas, instalações sanitárias, caixilharias e gabinetes de trabalho, assim como a renovação de infraestruturas elétricas, a criação de um novo local de entrada de visitantes e a melhoria de acessibilidades para pessoas com mobilidade reduzida.

No plano de trabalhos constam igualmente intervenções de conservação e restauro da azulejaria do claustro e da pintura mural da sala do capítulo, a fixação dos altares e a pintura da igreja do edifício.

A valorização e conservação do Museu Regional Rainha D. Leonor vai ser financiada em 75% por fundos comunitários, sendo os restantes 25% da comparticipação nacional assegurados pela Câmara de Beja (20%) e pela Direção Regional de Cultura do Alentejo (5%).

A esta intervenção junta-se uma outra, ao abrigo do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), num investimento complementar de mais 2,8 milhões de euros.

De acordo com a Direção Regional de Cultura do Alentejo, “estas obras, que terão início no primeiro trimestre de 2023 e deverão estar concluídas no final do ano seguinte, contemplam intervenções de conservação e restauro no interior, a instalação de sistemas de climatização, iluminação e vigilância, a reabilitação do claustro, a melhoria das condições gerais de acessibilidade, assim como a reabilitação dos terraços e a instalação de rede wifi“.

“Em síntese, só nos próximos três anos, entre 2022 e 2024, serão investidos mais de 4, 5 milhões de euros neste monumento nacional e emblemático do Alentejo”, conclui a mesma fonte.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima