Ministra da Agricultura insiste que EDIA deve gerir rede do Alqueva

Ministra da Agricultura insiste que

A ministra da Agricultura insiste que a gestão da rede secundária do Alqueva deve ser feita pela EDIA, apesar da contestação das associações de regantes e agricultores.
Actualmente, o Governo entende que a gestão da rede "deve" ser feita pela Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA), porque as obras ainda decorrem e, depois, "há um período de garantia" das próprias infra-estruturas, disse este domingo, 28, Assunção Cristas durante a visita que fez à Ovibeja.
Segundo a ministra, o Ministério da Agricultura convidou todas as associações representativas de regantes e agricultores para se juntaram ao comité de acompanhamento do regadio do Alqueva.
Através do comité será possível "trabalhar e estudar os mecanismos de gestão" da rede depois de 2020, quando o empreendimento estiver "perfeitamente" construído e consolidado e tiver passado o prazo de garantia das obras, explicou.
A ministra disse que já reuniu com todas as associações representativas de regantes e agricultores, num encontro em que "praticamente todas" mostraram "disponibilidade" para integraram o comité e foram discutidos vários aspectos que serão "objecto de trabalho", como o preço da água, "um aspecto muito importante para os agricultores e a competitividade da nossa agricultura".
"Penso que posso contar com o interesse, o empenho e o espírito construtivo de todos, porque [Alqueva] é um grande projecto para o Alentejo e o país", disse, referindo que as "matérias que, de facto, nos preocupam e são críticas para o bom sucesso da agricultura em Alqueva, podem ser tratadas" no comité.
"Estou crente que, com serenidade, espírito construtivo e muito diálogo, vamos poder trabalhar" sobre as matérias, que, "naturalmente, ocupam, e bem, os agricultores e o Estado", frisou.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima