Mineiro Aljustrelense vai ficar no nacional

Mineiro Aljustrelense

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) deu por concluídas, sem vencedores, todas as suas competições seniores que se encontravam suspensas devido à pandemia da Covid-19, não sendo atribuídos títulos nem aplicado o regime de subidas e descidas. Em termos práticos, esta decisão garante a manutenção do Mineiro Aljustrelense no Campeonato de Portugal, que voltará a disputar em 2020-2021.
A decisão da FPF foi anunciada nesta quarta-feira, 8, após reunião por teleconferência entre a equipa liderada por Fernando Gomes e responsáveis pelas associações distritais e regionais.
“A FPF entende que continuam a não estar reunidas as condições de saúde pública para que clubes com estruturas amadoras, como é próprio das provas em que participam, possam treinar e competir em segurança”, justifica a Federação em comunicado, acrescentando que o actual estado de emergência em vigor em Portugal impede “o normal decurso das competições, sendo imprevisível antever quando e se tais condições de saúde pública estarão reunidas ainda durante esta época desportiva”.
Por isso mesmo, a FPF entendeu dar por concluídas, “sem vencedores, todas as suas competições seniores que se encontram nesta data suspensas, não sendo atribuídos títulos nem aplicado o regime de subidas e descidas”.
A FPF anuncia ainda que irá continuar a estudar com as associações distritais e regionais “os moldes em que decorrerão as competições nacionais não-profissionais na época 2020-2021”.
A par desta decisão, a Federação anunciou igualmente a criação de um fundo de apoio às associações e aos clubes de futebol e futsal das competições nacionais não-profissionais de séniores masculinos e femininos, no valor de 4,7 milhões de euros.
“As regras de acesso ao fundo serão conhecidas em breve e o objectivo da iniciativa é garantir que os clubes cumprem com os compromissos estabelecidos para esta época com jogadores e treinadores”, explica a FPF em comunicado.
“Tendo como primeira prioridade a saúde e a segurança, sabemos que temos o dever e a obrigação estatutárias de ajudar as nossas associações e clubes a encontrarem soluções financeiras para estes tempos tão complicados. Decidimos assim, após um diálogo construtivo com os sócios da FPF, acrescentar ao milhão de euros disponibilizado anteriormente um novo fundo, de 4,7 milhões de euros, para auxiliar associações e clubes. Fazemo-lo com a clara consciência de que não resolveremos todos os problemas que enfrentamos, mas também dando um claro sinal de que esta é uma batalha que travaremos em conjunto e de que é urgente cumprir os compromissos com treinadores e jogadores”, justifica Fernando Gomes citado pela FPF.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima