Mineiro Aljustrelense inicia luta pela manutenção

Mineiro Aljustrelense

Vão ser 14 autênticas “finais”, com apenas um objectivo no horizonte: continuar no Nacional. O Mineiro Aljustrelense recebe o Oriental este domingo, 12, no arranque da segunda fase do Campeonato de Portugal/Prio, onde vai lutar pela manutenção.
A equipa da “vila das minas” inicia esta fase na quinta posição (entre oito formações), com seis pontos e a missão de garantir a manutenção está longe de ser uma “pêra-doce”. Mas o técnico dos tricolores confia num desfecho feliz para os seus jogadores.
“Não vai ser nada fácil. Mas não vamos deitar a toalha ao chão… Nem pouco mais ou menos! Porque o Mineiro tem de estar no Nacional e é isso que vamos conseguir no final do campeonato”, assume com convicção o treinador Vítor Rodrigues, em entrevista ao “CA”.
Ao lado da equipa da vila das minas na corrida pela permanência vão estar, além do Oriental, o Loures, Sintrense, Casa Pia, Armacenenses, Sp. Viana e Fabril do Barreiro. Rivais que impõem muito respeito ao treinador aljustrelense.
“O Sintrense e o Casa Pia têm plantéis fortíssimos. O Loures e o Oriental também são equipas difíceis. E com a excepção do Sp. Viana, o Fabril e o Armacenenses estão em zonas onde lhes é muito fácil recrutar novos atletas. Sei que o Fabril, por exemplo, está a reformular por completo o seu plantel e tenho algum receio a esse nível”, sublinha Vítor Rodrigues.
A apreensão do técnico tricolor é ainda maior em virtude das contrariedades que o clube tem sentido no mercado. “Estamos a ter muita dificuldade em recrutar os atletas que desejamos. Os jogadores de fora do distrito pedem muito dinheiro e os do distrito não têm motivação para estar num campeonato nacional – não é uma crítica, mas o constatar de uma realidade”, afiança Vítor Rodrigues, confirmando de seguida que ainda há vagas no seu plantel, sobretudo na frente do ataque, “órfã” do goleador Tino, que se mudou para o Leixões.
“O nosso plantel é muito reduzido e estamos a tentar por tudo fortalecê-lo. Tem sido difícil, mas estamos na luta e não vamos desistir. Porque essa palavra não existe no nosso dicionário”, sublinha o técnico, para logo acrescentar com arrojo: “Tenho um grupo de homens muito forte, que quer colocar o Mineiro onde tem de estar e num lugar que lhe fica muito bem”.
Relativamente ao Moura AC, a equipa da Margem Esquerda integra a Série H na fase de manutenção, estreando-se na casa do Pinhalnovense.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima