Médicos contra redução de camas no hospital de Beja

Médicos contra redução

O Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS) contesta a anunciada redução de camas no hospital de Beja, criticando duramente as medidas tomadas pelo Ministério da Saúde.
Em comunicado enviado ao “CA”, o SMZS revela que o rácio de camas hospitalares/ habitante no distrito de Beja “é cerca de metade da média nacional”, considerando que a redução de camas no Hospital José Joaquim Fernandes acaba por ser “uma acção deliberada de procurar definhar progressivamente esta unidade hospitalar que desde há cerca de um ano já vivia uma situação peculiar e ilegal que é a de não possuir em efectividade de funções um diretor(a) clínico(a)”.
De acordo com o SMZS, “uma das consequências imediatas do corte de camas é a perda de idoneidade de formação de novos especialistas e, por via disso, não permitir uma maior capacidade de fixação de médicos em Beja”, lembrando ainda que “durante anos, e no contexto da actividade dos hospitais distritais do nosso país, o hospital de Beja sempre foi um dos que mais se distinguiu na elaboração de trabalhos de carácter técnico-científico, demonstrando uma elevada dinâmica de funcionamento institucional”.
Além disso, continua o comunicado do sindicato. “a liquidação de camas hospitalares numa zona do país já marcadamente deficitária nesta área irá ter consequências imprevisíveis para muitos cidadãos do distrito de Beja”.
Tudo isto leva o SMZS a apelar “à mobilização” em defesa do hospital de Beja e do seu “insubstituível papel numa zona tão carente de meios assistenciais”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima