Livro “Rapazes dos Tanques” apresentado em Castro Verde

Livro “Rapazes dos Tanques”

A Biblioteca Municipal de Castro Verde, recebe esta quarta-feira, 10, pelas 18h00, a apresentação do livro Os Rapazes dos Tanques, de Alfredo Cunha e Adelino Gomes.
Os dois autores, fotógrafo e redactor respectivamente, estavam no Terreiro do Paço e no Largo do Carmo, em Lisboa, no dia 25 de Abril de 1974, quando foi derrubada a ditadura. O primeiro fotografou e o segundo relatou. Agora, os dois deram corpo às caras a preto e branco das "chapas" dessa altura.
“O livro parte das fotografias do Alfredo. E as fotografias nestes dois sítios que são essenciais para a revolução começar, no Terreiro do Paço, onde há uma disputa eminentemente militar, e no Carmo, onde há uma disputa militar mas já com os revoltosos consagrados porque têm poder de fogo superior à GNR e com o apoio do povo”, explicou o jornalista Adelino Gomes.
Procurar as pessoas que estão nas fotografias não foi fácil, um trabalho que os levou, disseram, de Braga à Amareleja, de Vila Real de Santo António à Madeira.
O resultado são 32 entrevistas, 30 delas a homens que estiveram nos tanques, a fazer a revolução ou contra ela, oficiais sim mas também furriéis e cabos, hoje generais ou homens anónimos, que naquela manhã receberam ordens em vez de as darem.
Através das fotografias de Alfredo Cunha, que começara a trabalhar em 1971 no jornal “Notícias da Amadora” e que em 1974 estava no “Século” (viria a trabalhar depois nomeadamente na Agência Lusa e no jornal “Público”), os dois chegaram aos que estavam nos carros de combate e ouviram as suas histórias, sobre quem mandou disparar contra o Terreiro do Paço, sobre quem se recusou.
Adelino Gomes, que foi jornalista no Rádio Clube Português, Rádio Renascença e RDP, e depois também na RTP e no jornal Público, destaca por exemplo o depoimento de um "cabo apontador" a quem foi dada ordem para disparar contra o grupo de Salgueiro Maia.
“Toda a gente andava à procura dele e nós descobrimo-lo. Mas descobrimos também e falámos com outros cabos. Este cabo, nem o presidente da junta dele sabe que ele recebeu ordens para arrasar o Terreiro do Paço”.
São histórias incríveis que podem ser conhecidas com detalhe no livro Os Rapazes dos Tanques, onde estão imagens e testemunhos exclusivos dos homens que estiveram frente a frente no Terreiro do Paço e no Carmo, no dia 25 de Abril de 1974.
Imagens que testemunham aquelas horas, para que entendamos as dúvidas, os receios, a ansiedade, a tensão, a esperança, as alegrias vividas por cidadãos que, depois desse dia, regressaram, na maior parte dos casos, ao anonimato.
Refira-se que este livro “é uma homenagem aos homens da Cavalaria que acabaram com 48 anos de ditadura, em especial, ao capitão Salgueiro Maia”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima