Litoral Alentejano é “paraíso” para raça bovina Limousine

Litoral Alentejano é “paraíso”

Prados verdes e em abundância, água com fartura e um clima ameno ao longo de todo o ano tornam o Litoral Alentejano num verdadeiro “paraíso” para a criação de bovinos da raça Limousine.
A raça tem vindo a aumentar o número de cabeças em todo o país, mas é no concelho de Odemira que tem o seu “epicentro” em quantidade de animais e de produtores.
“O Litoral Alentejano é uma zona maravilhosa, quase paradisíaca para o gado. É uma zona fresca, que devido ao regadio do Mira é muito produtiva em comida e tem muitos prados verdes permanentes, em que os animais vivem em perfeita harmonia com o ambiente que os rodeia. Neste momento é uma zona com maior densidade de criadores de Limousine, e onde os animais têm demonstrado melhores performances, daí ser considerada o ‘solar da raça’. Se formos a ver, esta zona é muito parecida com a zona de origem da raça em França”, explica ao “CA” o presidente da Associação de Criadores de Limousine (ACL), sediada… em Odemira!
“Contribui para esta localização o forte apoio da autarquia de Odemira, que tem sido incansável na criação de condições para que a ACL possa aqui desenvolver a sua actividade, apesar de ter criadores distribuídos de norte a sul do país”, acrescenta David Catita, que também é produtor em Serpa.
De acordo com este responsável, a raça Limousine “está em franco crescimento”, com cada vez mais e melhores criadores e também com um aumento constante de vacas “em linha pura”.
“A produção de Limousines puros, machos e fêmeas, está em expansão e tem muita procura, devido ao seu elevado poder melhorador quando cruzado com outras raças. Entre todos os bovinos puros que existem em Portugal, esta raça tem mais de metade dos reprodutores machos puros. É uma raça completa, bem vista no mercado e com muitas qualidades”, diz o presidente da ACL.
Para David Catita, o crescimento do gado Limousine em Portugal deve-se, sobretudo, “ao trabalho de selecção e melhoramento dos criadores nos últimos 12 anos, acompanhado por um plano de melhoramento da raça, gerido de forma dinâmica com a Direcção Geral de Veterinária, com regras claras e uma abordagem rigorosa de todos os intervenientes”.
“Este esforço permitiu potenciar as quatro principais qualidades da raça: elevada facilidade de parto, crescimento rápido, docilidade e rusticidade”, acrescenta.
Actualmente, o gado bovino Limousine é a raça mais numerosa do país em termos de machos puros (com cerca de 5.000 touros activos em vacadas), enquanto que em termos de vacas em linha pura é igualmente uma das mais numerosas, com mais de 8.000 animais.
De momento, a ACL conta com cerca de 180 criadores espalhados de norte a sul do país e também nos Açores, sendo que no distrito de Beja são 31, metade dos quais (16) no concelho de Odemira.
Os restantes encontram-se nos municípios de Aljustrel (um), Beja (dois), Castro Verde (um), Cuba (um), Ferreira do Alentejo (três), Moura (três), Ourique (três) e Serpa (um).

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima