Junta de São Teotónio defende sustentabilidade da caça

A Junta de São Teotónio está a preparar um conjunto de medidas de apoio para permitir a sustentabilidade da atividade cinegética nesta freguesia do concelho de Odemira. O projeto está a ser elaborado pela Ecosativa, uma empresa de consultoria ambiental, numa trabalho que se deve prolongar até final de maio.
“Diria que até ao final deste semestre estaremos em condições de apresentar o resultado dos trabalhos”, adianta ao “CA” o presidente da Junta de Freguesia de São Teotónio, Dário Guerreiro.
O autarca recorda que este projeto teve início em outubro de 2020, após uma reunião que juntou a Junta de Freguesia, a Câmara de Odemira e as associações de caçadores locais com Pedro do Carmo, deputado do PS eleito por Beja e presidente da Comissão Parlamentar de Agricultura e Mar.
“Depois da vinda do deputado [a São Teotónio] voltámos a reunir com as associações de caçadores, numa reunião que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Odemira [José Alberto Guerreiro], para chegarmos a entendimento quanto à metodologia do projeto”, diz.
Segundo Dário Guerreiro, entendeu-se “no decorrer desses trabalhos que seria necessário incluir uma parte técnica de estudo que permitisse depois apresentar medidas concretas”, daí a contratação “de uma empresa de consultoria especializada na área ambiental para desenvolver este trabalho diretamente com as associações de caçadores”.
“Esse trabalho, que conjuga a parte científica e a parte prática e direta com os agentes da prática cinegética, permitirá fazer uma avaliação geral das espécies cinegéticas ao nível do território da freguesia”, explica o autarca.
Dário Guerreiro acrescenta que, “depois de uma primeira fase” onde se incidiu “sobretudo na identificação do território ao nível da cartografia e identificação de todos os projetos das zonas de caça”, está agora a dar-se início “aos inquéritos e recolha de informação no terreno”.
O autarca explica que esta iniciativa pelo facto de o executivo da Junta de São Teotónio acreditar “que para manter a prática da caça é fundamental apostar em ações de preservação e fomento da fauna e das espécies cinegéticas”.
“Para isso as entidades que têm a responsabilidade de gestão territorial devem promover iniciativas e cooperar com aqueles que estão diretamente ligados às atividades presentes nesses territórios”, reforça Dário Guerreiro, sublinhando que depois de concluído este estudo será possível ter “uma ideia mais concreta sobre quais as medidas a desenvolver e apoiar”.
“Gostaríamos também que esta iniciativa viesse reforçar a união, partilha de informação e trabalho conjunto entre todas as associações de caçadores da freguesia de modo a ganhar escala e permitir uma gestão mais alargada de todo o território da freguesia”, conclui o presidente da Junta de Freguesia de São Teotónio.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima