Governo mantém cerca sanitária em São Teotónio e Longueira/Almograve

O Governo decidiu, em conselho de ministros realizado nesta quinta-feira, 6, manter as freguesias de São Teotónio e Longueira/Almograve, ambas no concelho de Odemira, com cerca sanitária, devido à incidência de Covid-19.

“O Governo decidiu manter a cerca sanitária, considerando, no entanto, e ao contrário do que acontecia até aqui, a possibilidade de haver condições específicas de acesso ao trabalho, definidas pela senhora ministra da Saúde e pelo senhor ministro da Administração Interna, e para casos excecionais e de urgência que necessitem de entrar naquele concelho”, explicou em conferência de imprensa a ministra da Presidência.

Mariana Vieira da Silva acrescentou que a medida entra em vigor a partir de segunda-feira, 10, reconhecendo que Odemira “tem hoje pouco mais de 240 por 100.000 habitantes”.

Esta decisão do Governo não foi ao encontro das pretensões do presidente da Câmara de Odemira, José Alberto Guerreiro, que horas antes, em conferência de imprensa, revelou ter pedido ao primeiro-ministro, na quarta-feira, 5, o levantamento da cerca sanitária em São Teotónio e Longueira/Almograve.

Segundo o autarca, o documento enviado na quarta-feira ao Governo está alicerçado em três aspetos fundamentais: a descida muito acentuada de casos ativos de Covid-19 no concvelho, o considerável decréscimo de infeções nas freguesias sob cerca sanitária, e o sofrimento e as dificuldades das populações locais na gestão das suas vidas e das atividades económicas.

José Alberto Guerreiro acrescentou que o número de casos ativos no concelho desceu para cerca de metade em relação ao momento em que foi decidida a cerca, tendo São Teotónio de momento 819 casos por 100 mil habitantes e Longueira/Almograve menos de 120 casos por 100 mil habitantes.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Odemira promove cidadania ambiental

Alertar as comunidades “para o problema dos resíduos”, para que os cidadãos “se tornem agentes de mudança”, é o grande objetivo do projeto “A Rua

Role para cima