Governo lança novosapoios para quem for trabalhar no Interior

Governo lança novos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O Governo acaba de anunciar a canalização de 63 milhões de euros em duas medidas previstas no Programa de Valorização do Interior, no sentido de apoiar a mobilidade de trabalhadores do litoral para o interior e a contratação para empresas com actividade no interior.
De acordo com fonte governamental, estas medidas de apoio do “são o resultado de um trabalho conjunto” entre os ministérios do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e da Coesão Territorial, sendo financiadas com fundos europeus dos programas operacionais regionais, entre os quais o Alentejo 2020.
Desta forma, continua a mesma fonte, estão já abertas, na página do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), as candidaturas para a medida “Emprego Interior MAIS – Mobilidade Apoiada para um Interior Sustentável”, que “visa promover a mobilidade geográfica de trabalhadores e a sua fixação em territórios do Interior, apoiando desempregados e empregados à procura de novo emprego”.
Segundo o Governo, este apoio pode atingir o valor global de 4.826 euros e a sua concessão abrange contratos de trabalho por conta de outrem ou a criação do próprio emprego ou empresa, em local situado em território do interior, à qual esteja associada a mudança de residência, sendo que as candidaturas “terão de ser submetidas nos 90 dias seguintes à celebração de contrato de trabalho ou da criação do próprio emprego ou empresa”.
Já a medida “+CO3SO Emprego Interior”, aberta no final de Julho, apoia a contratação de trabalhadores, preferencialmente qualificados, por parte de pequenas e médias empresas “já existentes ou a criar e com actividade no interior”.
Nesse sentido, será pago à empresa que contrate um apoio durante 36 meses que pode atingir o valor de 1.900 euros por mês.
“Esta medida apoia também a criação do próprio emprego ou do próprio negócio”, explica o Governo, acrescentando que, “no âmbito desta medida, uma empresa sediada no litoral que contrate um trabalhador e o coloque em teletrabalho em territórios do Interior terá os mesmos apoios de que beneficiam as empresas sediadas no Interior”.
Nesta medida, os apoios são solicitados pelas empresas junto dos Grupos de Acção Local (GAL) dos respectivos territórios.

Opinião

Carlos Pinto

22 de Janeiro, 2021

O Nosso pior pesadelo!

Napoleão Mira

22 de Janeiro, 2021

Ditadura das pessoas de bem

Carlos Pinto

8 de Janeiro, 2021

Entrar em 2021 de “pé esquerdo”

Vítor Encarnação

8 de Janeiro, 2021

Casa do Alentejo

Carlos Pinto

18 de Dezembro, 2020

Pessimismo ou optimismo?

Napoleão Mira

18 de Dezembro, 2020

Um conto de Natal quase verdadeiro

Anterior
Seguinte

EM DESTAQUE

ULTIMA HORA

Role para cima