Freguesia de Relíquias quer ter mais empresas

Freguesia de Relíquias

A falta de uma pequena zona industrial é uma das maiores lacunas da freguesia de Relíquias, o que deixa bastante preocupado o presidente da Junta de Freguesia local.
“Esse era um dos projectos que tínhamos em mente fazer, mas não foi possível até à data criarmos uma mini-estrutura para a localização de empresas. Seria uma pequena zona industrial, pelo menos para os da terra. E dava para termos aqui uma oficina de carros, que não temos. Para isso temos de nos deslocar a Colos ou Odemira”, adianta ao “CA” o presidente da Junta de Freguesia de Relíquias, Idálio Gonçalves.
Eleito pelo PS desde 2009, o autarca de 37 anos faz um balanço positivo do seu primeiro mandato, onde uma das prioridades tem sido a melhoria dos meios de trabalho da Junta de Freguesia.
“Temos estado a comprar equipamentos para trabalhar, porque infelizmente o que tínhamos era muito pouco para fazermos face, principalmente, às reparações das estradas de terra batida”, explica Idálio Gonçalves, revelando que ao longo destes quatro anos avançaram igualmente com a requalificação do campo de futebol, melhoraram os acessos “no espaço da freguesia” e deram apoio às associações culturais locais.
Apesar do trabalho realizado, o autarca socialista não esconde a sua preocupação relativamente ao futuro da freguesia de Relíquias, onde residem cerca de 925 pessoas.
“Temos muita população envelhecida e pessoal novo tem-se dispersado”, alerta Idálio Gonçalves, que deverá voltar a recandidatar-se ao cargo.
“Estamos a trabalhar para sermos de novo candidatos. Mas até lá ainda alguma água corre debaixo da ponte”, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima