Ferreira do Alentejo: Herdade do Sobrado espera água do Alqueva

Ferreira do Alentejo: Herdade do Sobrado espera água do Alqueva

Os responsáveis pelo Grupo Âncora esperam que a água do Alqueva chegue o mais rapidamente possível à Herdade do Sobrado, no concelho de Ferreira do Alentejo, de modo a prevenir um eventual período de seca que condicione a produção de azeitona nos seus 1.246 hectares de olival.
“Fizemos um investimento muito grande com a garantia de que Alqueva iria aqui chegar. Se Alqueva fica travado e demora cinco ou 10 anos mais que o previsto, algum do investimento pode entrar em quebra. Porque felizmente há quatro ou cinco anos que chove, mas o Alentejo e a Andaluzia são uma região seca. E eu lembro-me de três ou quatro anos sem chuva. Se isso acontece, este negócio vai abaixo”, revela ao “CA” o director-gerente da Herdade do Sobrado, Brigído Chambra Sánchez.
Além da Herdade do Sobrado, o Grupo Âncora, sedeado em Beja, possui mais três propriedades na região (as herdades da Morena, em São Matias; do Outeiro, em Baleizão; e da Capelinha, em Serpa), num total de 1.861 hectares de olival, onde é possível encontrar as variedades Arbequina, Picual, Cobrançosa, Koroneiki, Cordovil e Hojiblanca.
Tendo como áreas de negócio a produção de azeitona e a comercialização a granel de azeite de alta qualidade, o Grupo Âncora estima produzir na campanha 2011-2012 perto de 17.500 toneladas de azeitona. Com a aquisição de mais azeitonas a outros produtores locais, o grupo pretende transformar na presente campanha um total de 32 mil toneladas de azeitona, o que redundará na produção de 5.200 toneladas de azeite.
O azeite produzido pelo lagar da Herdade do Sobrado será depois comercializado a granel, com perto de 80% da produção a dirigir-se ao mercado externo (nomeadamente para Espanha e Itália), enquanto que os restantes 20% ficam no mercado português, destinando-se, sobretudo, aos grupos que detêm as marcas Oliveira da Serra e Gallo. Ao todo, os responsáveis pelo Grupo Âncora esperam facturar 11 milhões de euros com a venda de azeite na campanha 2011-2012.
O projecto do Grupo Âncora no Baixo Alentejo arrancou há meia dúzia de anos, tendo já investido 33,5 dos 38 milhões de euros previstos para a área agrícola. Por sua vez, no sector industrial a empresa já realizou 5,1 milhões de euros dos 10 milhões de euros de investimento previsto, sendo o próximo passo a ampliação do lagar. Ao todo, o Programa de Desenvolvimento Rural (Proder) apoiou este projecto em 5,2 milhões de euros, mas o grupo ainda tem por receber 3,8 milhões de euros do pacote de apoios comunitários.
Actualmente, o Grupo Âncora emprega 75 pessoas (52 na componente agrícola, mais 15 no sector industrial e oito na área administrativa), além de proporcionar perto de 25 mil jornas anuais para trabalhadores eventuais.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima