Feira “inunda” Castro Verde de gente, animação e tradição

Feira “inunda” Castro Verde de gente

<i>Eu fui à Feira de Castro
P’ra comprar um par de meias
Vim de lá com umas chanatas
E dois brincos nas orelhas</i>

Com ou sem fado à mistura, quem se deslocar a Castro Verde este fim-de-semana, dias 20 e 21 de Outubro, arrisca-se a ter a mesma “sorte” que Mariza e regressar a casa “enfeirado”!
Tudo porque a vila vai encher-se com um mar de gente, que não quererá perder pitada da tradicional Feira de Castro, um dos mais antigos e maiores certames do género no sul do país.
Como manda a tradição, a Feira de Castro vai realizar-se ao terceiro fim-de-semana de Outubro e pelas ruas será possível encontrar vendedores, ciganos e cauteleiros à mistura com as gentes locais ou visitantes mais urbanos, que vagueiam por um labirinto de bancas de roupa, calçado e frutos secos, de iluminadas roulottes de comes e bebes ou os pequenos carrinhos ambulantes de castanhas assadas, torrão de Alicante e algodão doce.
Os carrosséis e carrinhos de choque também não faltarão à festa, assim como o homem do “Borda d’Água” ou os incansáveis vendedores de “banha da cobra” e afins.
À imagem das edições anteriores, a Feira de Castro será também um momento para o reavivar da tradição do cante ao baldão, ouvindo-se ao fundo o trinar da viola campaniça e as vozes dos grupos corais.
Por ocasião da feira, a Câmara de Castro preparou um intenso programa cultural, que prevê para esta sexta-feira, 19, às 21h30, um concerto dos Campaniça Trio no cine-teatro municipal local.
Para sábado, 20, está agendado o arranque da primeira edição do Raid de Paramotores do Campo Branco, uma mostra de aves no pavilhão do Largo da Feira e uma arruada de bandas filarmónicas a partir das 11h00, repetida às 14h00.
Já depois de almoço, às 15h00, os algarvios do Rancho Folclórico da Serra do Caldeirão dançam na Praça da República, antecedendo o encontro de grupos corais alentejanos “Planície a Contar”, que se inicia às 16h00 e vai “ligar” a rua D. Afonso I à Praça da Liberdade com a voz austera dos cantadores alentejanos.
Mais à noite, a partir das 21h00, a antiga Taberna do Bravo acolhe o XXII Encontro de Tocadores de Viola Campaniça e Cantadores de Despique e Baldão (organização da Cortiçol – Cooperativa de Informação e Cultura de Castro Verde), e meia hora depois sobem ao palco do cine-teatro municipal Arlindo Costa e o grupo “Toques da Terra Branca”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima