Eleições na Distrital do PSD: João Guerreiro ou Fernando Palma?

Eleições na Distrital do PSD:

Os militantes do PSD do distrito de Beja vão escolher esta segunda-feira, 7 de Dezembro, o novo líder para os próximos dois anos. Mário Simões, que é presidente do partido há seis anos, não pode recandidatar-se por impeditivo estatutário e frente-a-frente estarão João Guerreiro e Fernando Palma.
Vencer, para depois “unir” o partido no Baixo Alentejo e seguir a linha de rumo protagonizada pelo actual líder social-democrata na região, Mário Simões: esta é a meta traçada por João Guerreiro, que apresentou a sua candidatura no dia 17 de Outubro.
Convencido que as eleições servirão para “clarificar o rumo” do partido “nos próximos dois anos”, João Guerreiro assumiu avançar “para proporcionar a unidade que o partido necessita, dentro de um espírito de tolerância e partilha”, contando com todos “para enfrentar os enormes desafios que o PSD tem pela frente nos próximos tempos”.
Apoiado por Mário Simões e José Raul Santos (actual e antigo líder da Distrital), João Guerreiro diz ser candidato para “retirar do passado o que de bom existiu em termos de acção política” durante a liderança de Mário Simões. “E porque tem havido um rumo para o partido com o qual me tenho identificado, e não vislumbrando nenhuma representatividade do mesmo na outra lista, também por isso me candidato”, acrescentou.
O candidato laranja quer igualmente “promover o diálogo constante com as secções concelhias” e “desenvolver nas próximas eleições autárquicas um forte empenhamento na consolidação da representatividade do partido”. E neste campo admitiu “a realização de coligações”, desde que “na sequência da manifestação da vontade das bases em cada concelho”.
A reorganização do PSD no distrito de Beja (com novas concelhias), a criação de um Conselho de Opinião para 14 personalidades representativas do território e que estejam ligadas a sectores como a agricultura, o turismo, a solidariedade social ou a saúde, a formação de quadros “na vertente política e autárquica”, a dinamização de roteiros políticos e a realização de “um trabalho profícuo com o grupo parlamentar [do PSD] no território” são outras das metas estabelecidas por João Guerreiro para o seu mandato.

Fernando Palma quer “virar a página”
A “ausência de acção política” e o “vazio total” da Distrital de Beja do PSD, “nomeadamente nos últimos 12 meses de mandato”, são dois motivos que estão na base da candidatura do actual presidente da Concelhia de Almodôvar, Fernando Palma, à liderança regional do partido.
Mas as críticas não ficam por aqui. Numa sessão realizada a 22 de Outubro, num restaurante de Beja, Fernando Palma assumiu que quer “fazer mais e melhor” nas próximas eleições autárquicas, lembrando que o resultado de 2013 “foi o pior de sempre”.
Por outro lado, Palma não esconde o seu desalento com o facto de, “nos últimos seis anos”, não ter havido reactivação de secções do PSD no distrito, tendo passado a inactivas as estruturas de Castro Verde, Alvito, Ferreira do Alentejo e Serpa – “O que prova a falta de capacidade de trabalho dos nossos colegas ainda em funções”, criticou.
As notas negativas para a actual liderança do PSD vão mais longe. Apesar de ter integrado a Comissão Política de Mário Simões no primeiro mandato, Fernando Palma acusa-o de “clara ingerência na vida das Concelhias, como se estas não pudessem ter autonomia e vida própria”.
Apontadas as fraquezas da gestão política do partido nos últimos anos, Fernando Palma assume que vai renovar e apresenta um conjunto de propostas que quer levar a cabo com “70% de candidatos que não ocuparam cargos de eleição nos órgãos distritais nos últimos seis anos”.
As eleições autárquicas de 2017 são o primeiro grande desafio e o político almodovarense não deixa “créditos por mãos-alheias”, anunciando desde já que vai avançar com “um projecto de ambição”, com o objectivo de ganhar “uma ou duas câmaras.
Ter mais militantes, realizar uma Convenção Anual, criar um Gabinete Estudos “activo” e promover assembleias distritais temáticas são outras metas definidas por Fernando Palma. “E por fim, algo que ninguém fala, não sei porquê, a apresentação anual das contas da distrital”, acentua o candidato, destacando que nos últimos seis anos isso não aconteceu.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima