Distrital vai ter apenas 13 equipas em 2015-2016

Distrital vai ter apenas

O campeonato distrital da 1ª divisão da Associação de Futebol de Beja vai ter apenas 13 equipas na temporada de 2015-2016, após as desistências de Sp. Cuba e Sabóia AC!
O abandono do Sp. Cuba foi colmatado com a “repescagem” do FC São Marcos, mas desistência do Sabóia AC e a recusa de Santaclarense e Alvorada de Ervidel em ocuparem essa vaga obriga a Associação de Futebol de Beja (AFB) a organizar o campeonato com menos uma equipa que o habitual.
Segundo apurou o “CA”, após ter sido oficializada a desistência do Sabóia a direcção da AFB começou por convidar o emblema de Santa Clara-a-Velha, terceiro classificado no playoff da 2ª divisão do último ano, que enjeitou a possibilidade de voltar à 1ª divisão.
Uma opção também seguida pelo Alvorada de Ervidel, que foi quarto classificado na mesma fase da competição em 2014-2015.
“Era muito em cima para arranjar um plantel para a 1ª divisão, ainda mais com o Mineiro Aljustrelense no campeonato. Assim preferimos subir dentro de campo”, adianta ao “CA” fonte oficial do clube do concelho de Aljustrel.
Perante este cenário, à AFB não resta outra possibilidade que não organizar um campeonato com 13 equipas.
“A partir do playoff com que critério iríamos convidar outros clubes”, justifica o presidente da associação.
José Luís Ramalho reconhece que gostaria que “o cenário fosse outro”, mas assume compreender os motivos que tanto levaram à desistência de Sp. Cuba (que suspendeu o futebol sénior por dificuldades financeiras) e do Sabóia AC (que vai entrar na 2ª divisão por limitações financeiras e por ainda não ter as obras de arrelvamento do campo concluídas), como à recusa de Santaclarense e Alvorada em passarem para o “Distritalão”.
“As dificuldades são imensas, as autarquias deixaram de ajudar, os custos são elevados e não há hipótese de diminuir determinadas despesas”, explica o presidente da AFB, que ainda assim está optimista relativamente à temporada que se avizinha.
“Se recuperarmos o campeonato distrital de juniores – e já temos sete equipas inscritas –, se continuarmos a ter duas séries no campeonato da 2ª divisão e se aumentarmos as equipas na formação será bom. Perante esta crise que o país vive e em que a nossa região está e perante a ausência quase total de apoios, penso que a situação não é assim tão preocupante”, conclui José Luís Ramalho.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima