Deputado do PS exige medidas à empresa CP

Deputado do PS exige

Depois de uma avaria ter deixado, no último fim-de-semana, cerca de 40 passageiros às escuras dentro do comboio perto da Vila Nova da Baronia, o deputado do PS eleito por Beja enviou ao presidente da administração da CP uma carta a exigir medidas para evitar novas situações do género.
Na carta enviada nesta segunda-feira, 6, com conhecimento ao ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro do Carmo diz não ser “aceitável que não existam planos de emergência a serem activados [pela CP] em situação de avaria”, criticando ainda que “no quadro de funcionamento da linha ferroviária do Alentejo e no actual contexto de alertas meteorológicos não existam uma especial atenção para que as condições de permanência na estação de Casa Branca tenham o mínimo de condições de acesso a meios de hidratação”.
O deputado socialista lembra que “até 2015 não foram previstas verbas no Portugal 2020 para a requalificação da linha férrea do Alentejo ou para o lançamento de um concurso para a aquisição de material circulante que reponham os padrões mínimos de qualidade e de respeito pela dignidade dos passageiros que devem caracterizar o serviço público de transportes rodoviários”, acrescentando “que, por sucessivos desinvestimentos e inacções, a CP está a viver uma situação de emergência”.
“E a emergência exige que se minorem os riscos e se salvaguardem as vidas humanas e os padrões mínimos de respeito pela sua dignidade”, continua Pedro do Carmo, exigindo à CP a adopção de medidas que “assegurem a existência de apoio aos utentes sempre que se verifiquem situações como a ocorrida a 5 de Agosto, em que sob um calor de mais de 40 graus, não houve água, luz e muitos tiveram que se deslocar a pé, com crianças pela via”.
Pedro do Carmo quer ainda que a CP reforçe “as condições de conforto mínimo dos utentes nas composições e na estação de Casa Branca, quer nas condições climatéricas quer no acesso a meio de hidratação, fundamentais perante o contexto de Verão ou das elevadas temperaturas”, além de acelerar “os procedimentos para o lançamento do concurso internacional para a aquisição de material circulante para a Linha do Alentejo” e os procedimentos “para a realização dos estudos que permitam a integração dos investimentos na Linha Férrea do Alentejo nas próximas negociações com Bruxelas, no quadro da reprogramação do Portugal 2020 ou no pós-2020”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Escola Mário Beirão reabre em Beja

A Escola Básica Mário Beirão, em Beja, reabre esta segunda-feira, 27, para os alunos dos ensinos pré-escolar e primeiro ciclo, depois que as inundações provocadas

Role para cima