Deputado do PCP questiona Governo

PCP
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O deputado do PCP eleito por Beja quer saber como justifica o Governo que, “num momento particularmente difícil” em termos pandémicos como o actual, a Unidade de Saúde Pública da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) “tenha ficado de um dia para o outro sem médicos”.
A questão apresentada por João Dias na passada semana na Assembleia da República e dirigida à ministra da Saúde, Marta Temido, tem por base o facto de os dois e únicos médicos de saúde pública da Unidade de Saúde Pública (USP) da ULSBA terem sido colocados, por mobilidade, na Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, tendo a ULSBA “ficado sem qualquer médico “especialista em saúde pública”.
“Ainda que a administração da ULSBA tenha alertado para o risco de, no final de Novembro, a USP ficar sem médicos de saúde pública, nada foi feito para resolver essa situação”, sublinha João Dias, considerando que “mais preocupante” foram as declarações do secretário de Estado Adjunto da Saúde, que a 27 de Novembro, em visita a Beja, disse que o Ministério da Saúde “não iria permitir a mobilidade dos médicos em causa, uma vez que emitiu um despacho que durante o estado de emergência está impedida a mobilidade de profissionais de saúde”, o que no caso dos médicos de saúde pública da ULSBA “não aconteceu”.
Nesse sentido, o deputado comunista pretende saber “como justifica o Governo que, num momento particularmente difícil em que estamos confrontados com uma grave pandemia, a Unidade de Saúde Pública da ULSBA tenha ficado de um dia para o outro sem médicos”.
João Dias questiona ainda sobre “que medidas vai o Governo tomar para que a Unidade de Saúde Pública seja dotada dos médicos da respectiva especialidade” e, “face à ausência de médicos de Saúde Pública na USP, qual foi a solução encontrada para responder ao problema criado”.

Opinião

Carlos Pinto

22 de Janeiro, 2021

O Nosso pior pesadelo!

Napoleão Mira

22 de Janeiro, 2021

Ditadura das pessoas de bem

Carlos Pinto

8 de Janeiro, 2021

Entrar em 2021 de “pé esquerdo”

Vítor Encarnação

8 de Janeiro, 2021

Casa do Alentejo

Carlos Pinto

18 de Dezembro, 2020

Pessimismo ou optimismo?

Napoleão Mira

18 de Dezembro, 2020

Um conto de Natal quase verdadeiro

Anterior
Seguinte

EM DESTAQUE

ULTIMA HORA

Role para cima