Demissões nas Urgências do Hospital do Litoral Alentejano

Demissões nas Urgências do

Os responsáveis pelo Serviço de Urgências do Hospital do Litoral Alentejano (HLA), em Santiago do Cacém, apresentaram a sua demissão do cargo esta quinta-feira, 26.
Segundo a Agência Lusa, a tomada de posição assumida por 14 médicos tem por base “a degradação contínua das condições de trabalho” nas Urgências do hospital, tanto “em termos de falta de material” como “em termos de falta de pessoal”.
“Desconformidades sistemáticas da escala de urgência, nomeadamente do atendimento geral e do atendimento pediátrico, são outras das críticas apontadas pelos médicos, que consideram que este quadro de “degradação” coloca “em risco a segurança dos doentes que recorrem ao Serviço de Urgência”.
Entretanto, o conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano já veio público confrontar as críticas feitas pelos médicos e em comunicado recusa “a existência de falta de material, bem como a alegada degradação do Serviço” de Urgências do HLA.
No documento, a ULSLA sublinha que “a comprová-lo estão as escalas do serviço já elaboradas e aprovadas para o próximo mês de Março”.
A administração da ULSLA garante que ainda que a orgânica do Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica (SUMC) tem sido uma prioridade desde 2012, sendo que todos os problemas ainda não foram resolvidos devido à “enorme falta de médicos”.
“Existem 79 e a ULSLA necessita de 186 para a concretização da sua carteira de serviços”, afirma o comunicado, acrescentando que está em curso “o términus do projecto de ampliação do SUMC, de forma a criar melhores condições físicas, técnicas e funcionais para o serviço e os seus utentes”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima