Comissão Europeia "protege" oficialmente o cabrito do Alentejo

Comissão Europeia "protege" oficialmente o cabrito do Alentejo

A Comissão Europeia acrescentou esta quinta-feira, 8, o cabrito do Alentejo à lista de Indicação Geográfica Protegida (IGP).
O cabrito do Alentejo é a carne obtida de caprinos de raça Serpentina, abatidos entre os 30 e os 120 dias de vida, tendo as carcaças entre os 3,5 e os 7,5 quilos e um baixo teor de gordura.
A área geográfica de produção está limitada aos distritos de Portalegre, Évora e Beja e inclui ainda os concelhos de Grândola, Alcácer do Sal, Santiago do Cacém e Alcoutim, bem como as freguesias de Couço e Santana do Mato (Coruche), São Marcos da Serra (Silves) e Ameixial (Loulé).
No caso da IGP, a relação com o meio geográfico subsiste pelo menos numa das fases da produção, transformação ou elaboração e tem que se demonstrar que pelo menos uma parte do seu ciclo produtivo tem origem no local que lhe dá o nome e que tem uma "reputação" associada a essa mesma região, de tal forma que é possível ligar algumas das características do produto aos solos, ao clima, às raças animais, variedades vegetais ou saber fazer das pessoas dessa área.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima