Visão estratégica

Quinta-feira, 17 Setembro, 2020

Vito Carioca

presidente do IPBeja

Os compromissos da presidência do Instituto Politécnico de Beja (IPB), para o mandato 2009/13, implicam uma reflexão sistemática no que respeita aos pressupostos e objectivos estratégicos de desenvolvimento. Dois documentos de enquadramento importa referir, pelo seu contributo para a missão do Instituto, nomeadamente o Plano Estratégico de Desenvolvimento (2002/06) e a Avaliação Prospectiva do Plano Estratégico de Desenvolvimento (2002/06).
Assumindo a excelência, a inovação, a competência, a qualidade e a internacionalização como valores fundamentais, aspira-se colocar em prática as opções e as acções adequadas à transformação do IPB numa organização comprometida: com o desenvolvimento científico e a transferência de conhecimento; com a criação de “valor acrescentado” ao nível de “novos produtos” e “novos serviços”; com o empreendedorismo; com a criação de centros de investigação e desenvolvimento de referência internacional; com a consolidação da oferta formativa adequada às necessidades da região; e com a fixação de novos quadros na região. O cumprimento destes objectivos implica uma visão estratégica de “como?”, “quando?” e “com quem fazer?”. A resposta a estas questões impõe a concepção de um documento de apoio à gestão, com identificação clara: dos vectores estruturantes de actuação; dos objectivos e indicadores a contratualizar com a comunidade; da cadeia de comando interno ao IPB e procedimentos de gestão a dinamizar; da matriz de responsabilidades internas e externas a contratualizar; dos procedimentos de monitorização dos objectivos definidos. Em suma, implica a existência de um plano de desenvolvimento que enquadre e explicite a estratégia de actuação da instituição no curto/médio prazo, designado Plano de Desenvolvimento Estratégico do IPBeja 2009/13.
A importância institucional que este documento assume, pelo que foi dito anteriormente, deve estar proporcionalmente relacionada com o necessário envolvimento, participação e responsabilização de toda a comunidade. Não só a comunidade interna, mas de todos os parceiros sociais implicados no desenvolvimento económico, social e cultural da região. Para que seja possível, cabe-nos a nós, enquanto Instituição implicada no desenvolvimento regional e com elevadas responsabilidades, disponibilizar um documento orientador, em que se explicitem: a aposta na Investigação e Desenvolvimento (I&D) enquanto factor chave na viragem para a competitividade e para a sustentabilidade; a internacionalização e construção de consórcios internacionais de suporte à concepção e desenvolvimento de propostas formativas conjuntas; o reforço da capacidade efectiva de transferência de conhecimento e de prestação de serviços à comunidade; a avaliação organizacional e a avaliação de desempenho como matrizes para a melhoria contínua e a implementação dos processos de qualidade. Para tudo isto, temos continuamente ouvido a comunidade e com ela iremos partilhar os desafios plasmados no documento, que acreditamos servir os interesses de desenvolvimento do Alentejo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima