Verdes eram os nossos campos

Sexta-feira, 29 Abril, 2022

Carlos Pinto

JORNALISTA | DIRECTOR DO "CA"

Voltamos ao tema da seca. Não por falta de assunto ou pura teimosia, mas sim porque este deve ser um assunto encarado por todos com seriedade quando se trata de vislumbrar o nosso futuro coletivo. As alterações climáticas deixaram de ser pura teoria científica e são hoje um fato incontornável. Uma realidade com que temos de saber lidar, o que implica – inclusive – termos a capacidade de alterar os nossos gestos na relação com a natureza.
Em tempos idos, por esta altura de abril, os nossos campos eram verdes e viçosos. Hoje, na sua maioria, assumem tonalidades amarelas ou acastanhadas, fruto da falta de chuva ao longo de meses, algo que nem as “aguadas” das últimas semanas vieram minimizar. Este é o “novo normal”.
Mas temos de ter em atenção seca que enfrentamos presentemente não é fruto do acaso. Ele deve-se a anos e anos de aquecimento global (o que sempre menosprezámos, fosse por incúria, desconhecimento ou outra razão que nos valha). Mas também a anos e anos de inação por parte de quem de direito.
É por tudo isto que o anúncio – feito pela ministra da Agricultura em plenao Ovibeja – de que haverá mesmo dinheiro para concretizar a ligação do Alqueva à albufeira do Monte da Rocha, através do Roxo, é uma excelente notícia. É certo que o projeto poderia estar a avançar muito mais rapidamente, mas, como diz o ditado, vale mais tarde que nunca.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima