Tempo de boas decisões

Quinta-feira, 17 Setembro, 2020

Jorge Barnabé

A decisão com que os portugueses se confrontam no próximo domingo representa a capacidade de escolher entre dois modelos claros e distintos de governação. Portugal tem hoje não só a necessidade de se modernizar e de se tornar um país mais justo e progressista como também a urgência de uma ambição reformista e construtiva.
Perante os cenários que viabilizam a constituição de um governo estável as escolhas limitam-se ao voto ou em Manuela Ferreira Leite ou em José Sócrates. E entre os dois a diferença é abismal: quer nos perfis, quer nas atitudes, quer ainda nas ideias.
Por um lado Manuela Ferreira Leite defende um Portugal de vazios. Promove todos os dias o vazio das ideias, o vazio dos pensamentos políticos e o vazio da credibilidade da política. A líder do PSD limita-se à intoxicação da informação e a gerar confusão diária para esconder o que não é evidente: não tem uma visão, ou um programa de futuro para Portugal e que beneficie os portugueses.
A alternativa no voto é José Sócrates. O actual primeiro-ministro desenvolveu uma nova atitude na governação de Portugal. Com mais ambição e uma visão de futuro. O que tem sido feito nestes quatro anos e meio terá os melhores resultados para os portugueses não só no imediato mas sobretudo num futuro próximo, beneficiando todos e em particular as novas gerações. E para além do que fez neste mandato importa realçar um programa eleitoral recheado de propostas e assente no desígnio de fazer sempre mais e melhor por Portugal.
Mas concentremo-nos na nossa região. Nestes quatro anos o Baixo Alentejo foi alvo dos maiores investimentos públicos e de uma nova forma de olhar a região e de defender a igualdade de oportunidade de todos nós.
Os investimentos não se limitam ao aeroporto, ou ao Alqueva e à nova auto-estrada do Baixo Alentejo. Não, há muito mais para além destas grandes infra-estruturas e a força dos apoios e dos projectos estão centradas nas pessoas e nas suas expectativas.
Falo-vos dos projectos agrícolas e de reconversão agrícola, das novas oportunidades na aprendizagem e na qualificação, das novas tecnologias e na modernização das escolas e dos parques escolares, das energias renováveis e dos reforços dos apoios sociais e o aumento do salário mínimo. Falo-vos ainda da simplificação da legislação para facilitar o empreendedorismo e os incentivos à criação de empresas e à competitividade.
Somos agora mais fortes e com maiores capacidades de promover as soluções de futuro. Somos agora a essência de uma Região Baixo Alentejo que sempre ambicionámos e que nos fará ainda mais fortes e desenvolvidos no espaço nacional e europeu.
Não tenho dúvidas quanto à importância de todos votarem nestas eleições. Nem hesitação quanto à escolha e ao voto que deve viabilizar as soluções e penalizar aqueles que desejam os problemas para servir os seus interesses internos.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima