Nobres moedas?

Quinta-feira, 17 Setembro, 2020

Margarida Janeiro

jornalista

(um mês depois das portuguesíssimas e muito regionais e muito locais eleições legislativas)

A Coligação Democrática Unitária (CDU) foi a grande vencedora destas eleições! Tenho dito!
O movimento Bloco de Esquerda (BE) foi o grande derrotado destas eleições! Disse!
É mentira – dirão! Então e o Partido Social Democrata (PSD) que subiu de 29 para 38 por cento? Então e o CDS – Partido Popular que subiu de 10 para 11 por cento? Não são também vitoriosos? Ou, já agora, o Partido Socialista (PS) que – finalmente – desceu de 36 para 28 por cento? Não é também perdedor?
Não! Não, porquanto nenhum destes três falou verdade, apregoou verdade, contou verdade e, assim sendo, não entram sequer para as contas. Os partidos da “troika”, os partidos do arco do poder, os partidos do memorando, os partidos do FMI, não são aqui chamados, pois não disputaram eleições em igualdade de circunstâncias. E como todos sabemos, “não se pode comparar o que não é comparável”.
Assim, temos uma esquerda verdadeira, um BE e uma CDU que não se sentaram à mesa das negociações, supostas negociações, não entraram nesssa farsola. No entanto, uma esquerda que não conseguiu – infelizmente – passar a mensagem: auditoria à dívida e renogiação da dívida.
Terão os portugueses entendido que o dinheiro do BCE, do FMI e União Europeia era uma salvação para o país? Terão pensado que tal era um favorzinho que nos faziam? Terão achado que o mesmo nos resolveria os problemas e que ainda devíamos estar agradecidos?
E já agora, os alentejanos terão pensado também que ao votarem, no círculo de Beja, no jovem Carlos Moedas, militante do PSD, tal lhes traria mais coins? Pièces de monnaie? Monedas? Münzen? Monet? Enfim… euros para a cidade, o distrito, a região? Terão visto nessa eleição inédita de um deputado social-democrata um potencial queijinho Limiano?
Lamento que não tenham votado nas ideias, nas propostas, num programa político, mas antes numa pessoa, numa cara, numa expectativa, numa promessa. Moedas não chegou sequer a aquecer o lugar e é hoje secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro! Como é bom de ver, a atitude nada tem de Nobre e, como se não bastasse, hoje também esse declinou as responsabilidades de que fora imbuído pelos portugueses. Não é um bom caminho, não é uma boa política. Não há moedas nobres porque estas têm sempre duas caras e, além do mais: a Coligação Democrática Unitária com mais um deputado eleito foi a grande vencedora destas eleições e o movimento Bloco de Esquerda foi o grande derrotado destas eleições! Porquê? Simples: porque falaram verdade!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima