Liberdade na verdade

Quinta-feira, 17 Setembro, 2020

Teresa Chaves

presidente da Cáritas de Teja

Ao assistir na televisão às imagens das Jornadas Mundiais da Juventude 2011 com a presença do Papa Bento XVI, que se realizaram recentemente em Madrid, nas quais participaram um milhão e meio de jovens, entre eles doze mil portugueses, não pude deixar de constatar com alegria que os jovens do século XXI não diferem dos jovens de outras gerações.
Ou seja, os nossos jovens continuam a ter características de autenticidade, procurando os valores que os levam à descoberta da verdade sobre as suas vidas. Mesmo que isso requeira uma caminhada exigente.
Se analisarmos as séries medíocres que lhes são oferecidas na televisão, apresentando a superficialidade e mediocridade como critérios a seguir, a educação sexual que lhes é transmitida nas escolas reduzida a um intercâmbio de prazer reducionista valorizando relações descartáveis, a crise geral de valores que assola a nossa sociedade nos diversos âmbitos, etc., ficamos perplexos como é que ainda conseguem discernir aquilo que é ou não verdadeiramente importante para encontrarem uma autentica felicidade.
Entender que a liberdade não é fruto de uma postura individualista e egoísta mas de co-responsabilidade para com o outro e com toda a sociedade, que só uma liberdade assumida com responsabilidade, constância e sentido do dever pode trazer felicidade. É certo que requer disponibilidade para uma caminhada exigente em que se tem de abdicar de muita coisa, em que se tem de crescer continuamente através do trabalho, disciplina, do amor pelo próximo e do bem comum.
Mas os jovens são por natureza altruístas e sentem no seu íntimo que vale a pena o esforço de forma a não ficar no patamar da mediocridade.
Dizia o Papa Bento XVI na sua mensagem para a XXVI Jornada da Juventude: “O relativismo difundido, segundo o qual tudo se equivale e não existe verdade alguma, nem qualquer ponto de referência absoluto, não gera a verdadeira liberdade, mas instabilidade, desorientação, conformismo às moda do momento. Vós, jovens, tendes direito a receber das gerações que vos precedem pontos firmes para tomardes as vossas opções e construirdes a vossa vida, do mesmo modo que uma jovem planta precisa de um sólido apoio para que as raízes cresçam e se torne depois uma árvore robusta, capaz de dar fruto”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima