Falta de memória!

Quinta-feira, 17 Maio, 2018

Carlos Pinto

director do correio alentejo

A falta de memória é uma das imperfeições do ser humano. Não a falta de memória natural, causada pela idade ou pela doença, mas sim aqueles episódios de ausência repentina de lembrança sobre actos e decisões cometidas por nós ou pelos outros, tanto no plano individual como no plano colectivo. E esta última é, invariavelmente, selectiva, parcial e, bastas vezes, injusta e incorrecta.
Veja-se o caso do desporto, onde atletas ou treinadores passam de heróis a vilões num ápice. O mesmo sucede com as artes, onde as figuras idolatradas no dia hoje são votadas ao esquecimento e desprezo logo na manhã seguinte. Ou no associativismo… Ou na vida empresarial… Ou, claro, na política!
Vem isto a propósito das recentes afirmações proferidas pelo líder do PSD durante os dois dias que passou em Beja, no âmbito das comemorações do 44º aniversário do partido. Rui Rio falou muito de acessibilidades e de outros constrangimentos que afectam a região, quase sempre criticando que nada se tenha feito para os debelar até ao momento. As suas palavras são legítimas e ajustadas. E certamente que, vindo Rio “de fora” de Lisboa, foram ditas com convicção.
Mas o que Rui Rio não pode olvidar são as causas destes problemas. E nesta matéria todos têm responsabilidades… incluindo o PSD! Porque quando se reclama pela conclusão da A26, é bom ter presente que foi o Governo PSD/ CDS quem suspendeu as obras. Ou quando se fala da falta de estratégia no aeroporto de Beja convém recordar que esta infra-estrutura foi inaugurada em Abril de 2011 e que nos quatro anos seguintes (2011 a 2015, em que no Governo esteve a coligação à direita) nunca houve, sequer, uma ténue tentativa de definir as bases da mesma.
É óbvio que Rui Rio não tem culpas no cartório em nenhuma destas questões. Mas a ausência de memória demonstrada não o ajudará a fazer diferente.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima