Conhece os alimentos que promovem a saúde do cérebro?

Quinta-feira, 17 Setembro, 2020

Maria Paes de Vasconcelos

nutricionista

Muitas vezes culpamos a preguiça pela falta de vontade para estudar ou trabalhar. Mas a pouca concentração e a ansiedade podem ter outras origens. Vários estudos comprovam que a nutrição desempenha um papel importante na saúde cognitiva, podendo mesmo interferir na capacidade de aprendizagem, memória e controlo do stress.
Sabia que a aprendizagem não é um conceito vago, mas sim um processo biológico que depende da saúde das células do cérebro, os neurónios? Na verdade, o cérebro tem mais de 100 biliões de neurónios. Estas células comunicam entre si através das suas membranas, como se fosse um diálogo: “falando” (quando libertam substâncias químicas) e “ouvindo” (ao reconhecer as substâncias libertadas pelo neurónio vizinho). Quando estas células não recebem os nutrientes que necessitam, o seu funcionamento pode ser comprometido.
As membranas das células de todos os organismos vivos são constituídas por lípidos, e as do cérebro são muito ricas no ácido gordo DHA (ácido docosahexaenóico). Este ácido gordo poli-insaturado de cadeia longa do tipo ómega-3 é uma molécula muito comprida com várias “dobradiças”, o que torna as membranas mais maleáveis. Ora, quanto mais maleáveis, mais fáceis são as ditas trocas de substâncias, permitindo a comunicação com os neurónios vizinhos de modo incrivelmente rápido.
O consumo destas “boas” gorduras ajudam a desenvolver as capacidades cognitivas como a aprendizagem, a memória e a concentração. Está inclusivamente comprovado que estes ómega-3 melhoram o rendimento nos desportos que envolvem rapidez e de precisão, como o basquetebol ou a esgrima. Para além disso, são capazes de diminuir alguns sintomas da depressão, melhorando o humor, e também da hiperactividade.
Mas quais os alimentos que fornecem estes nutrientes? Os ácidos gordos mais abundantes no cérebro são os DHA, e que nos são fornecidos pelos peixes gordos, como o carapau, sardinha e salmão e pelo leite materno. Por outro lado, estes alimentos são também ricos em ALA (ácido-linolénico), que é essencial para a saúde cognitiva, encontrando-se sobretudo nos óleos de origem vegetal, feitos a partir de sementes.
Por todos estes motivos, os ácidos gordos ómega-3 devem estar presentes de forma regular na alimentação de toda a família, tanto nos mais novos como nos mais velhos, para crescer e envelhecer, com corpo e mente saudáveis.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima