Cidade de Beja volta a ser a Pax Julia romana

Beja - festival Beja Romana 2022

Música, cortejos, rábulas e performances, gastronomia, exposições e conferências são alguns dos destaques da oitava edição do Festival Beja Romana, que arranca nesta sexta-feira, 26, para celebrar os primeiros tempos daquela que foi a importante cidade de Pax Julia e reavivar a memória e o universo romano dos ilustres pacenses.

A iniciativa, organizada pela Câmara de Beja em parceria com diversas entidades, prolonga-se até domingo, 28, e visa, segundo a autarquia, “promover a relação da comunidade com o seu passado como forma de estimular o sentimento de pertença, fomentando o conhecimento da história e do património de Beja no período romano”.

“Aproximar a comunidade aos valores da cultura local”, “promover a educação para o património” e “dinamizar o centro histórico e a economia local da cidade” são outras das metas do festival, que este ano tem como tema “Pax Romana: Guerra, Paz e Domínio do Território”.

Ao longo de três dias, o evento vai contar com música, cortejos, rábulas e performances, malabares, danças, acepipes, oficinas de cozinha, exposições, conferências ou visitas guiadas a museus e sítios arqueológicos.

“Algumas personagens da antiga Pax Julia, que a investigação histórica e arqueológica trouxeram ao nosso conhecimento”, integram igualmente o programa do festival, anuncia a Câmara de Beja.

Festival tem por objetivo “promover a relação da comunidade com o seu passado como forma de estimular o sentimento de pertença, fomentando o conhecimento da história e do património de Beja no período romano”.

O evento arranca nesta sexta-feira, 26, sendo que para as 10h30 está previsto o tradicional cortejo de receção ao cônsul romano pelos patrícios e plebeus da Hispânia Terraconensis, que vai passar por diversas ruas do centro histórico de Beja.

As recriações históricas vão ser, aliás, uma constante ao longo dos três dias do Festival Beja Romana, que contará com patrulhas, desfiles e demonstrações de treino de legionários, cortejos, lutas de gladiadores, um mercado romano e outro de escravos, récitas de poesia ou a celebração do casamento de Quinto Petíicio Rufo com Domitilia.

O programa do festival inclui ainda danças romanas, orientais ou em veneração aos deuses, jogos tradicionais, espetáculos de teatro, de dança, de malabarismo e acrobacias, workshops de yoga, arruadas, batismos a cavalo e um concurso de fotografia, entre outras iniciativas.

Para o sábado, 27, estão ainda previstas as conferências “Beja, Capital de Conventus e Centro Económico”, com Rodrigo Banha da Silva (17h00), e “O mosaico romano no Conventus Pacensis”, por Maria de Jesus Kramer (18h00), ambas no Núcleo Museológico da Rua do Sembrano.

Neste local está igualmente patente a exposição “Um olhar para a morte em época romana”, que tem por base o espólio recolhido na villa romana de Pisões, que se encontra no concelho de Beja.

O festival conta ainda com a mostra “Conventus Pacensis: Colónia Pax Julia, a capital do Sul e os testemunhos de romanização do território”, na Praça da República, e a exposição com os trabalhos do concurso de fotografia da VII Beja Romana, nas paragens de autocarro da cidade.

Opinião

Carlos Pinto

24 de Maio, 2024

Tensão extrema!

Vitor Encarnação

24 de Maio, 2024

Sábado à noite

Carlos Pinto

10 de Maio, 2024

O futuro dos Bombeiros!

Napoleão Mira

10 de Maio, 2024

A Alquimia das Favas

Carlos Pinto

26 de Abril, 2024

Abril, sempre!

Carlos Pinto

12 de Abril, 2024

Valerá tudo por tática política?

Anterior
Seguinte

EM DESTAQUE

ULTIMA HORA

Role para cima