CDU explica “caso” da Derrama em Castro

CDU explica “caso”

A CDU de Castro Verde garante não ter escondido “nenhuma informação” relativamente ao caso em que a Câmara Municipal vai ter de devolver mais de 1,2 milhões de euros por Derrama indevidamente cobrada pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT).
Em comunicado, a CDU assume que os acertos ao apuramento da Derrama efectuados pelas Finanças relativo aos exercícios de 2006, 2008 e 2009 “conduziram a um valor transitado negativo” de quase 1,5 milhões de euros, “ou seja, um crédito da AT sobre a Câmara de Castro Verde nesse montante”. Esta situação fará com que a AT não proceda “a nenhuma transferência para o Município a título de Derrama, até ao saldo negativo estar totalmente liquidado”, acrescenta.
Tudo isto leva os comunistas a afirmar que “o dever de informação da AT, mais uma vez, não foi cumprido” e que a culpa “não é do anterior executivo municipal, mas dos governos do Poder Central”.
“Pela nossa parte reafirmamos que não escondemos nenhuma informação. Antes de informar publicamente (e não estamos habitados a títulos bombásticos tão conhecidos do actual executivo municipal) sempre entendemos necessário conhecer os factos e estudar as alternativas de actuação, se estas existirem”, acrescenta a CDU, considerando que ao executivo em funções “caberá agora a tomada das decisões que entenda mais convenientes” para “defender os interesses do Município e assumir de facto a boa gestão da Câmara Municipal de Castro Verde”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Escola Mário Beirão reabre em Beja

A Escola Básica Mário Beirão, em Beja, reabre esta segunda-feira, 27, para os alunos dos ensinos pré-escolar e primeiro ciclo, depois que as inundações provocadas

Role para cima