CAP quer mudanças nos seguros para a agricultura

CAP quer mudanças nos

O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) defendeu esta quarta-feira, 23, a introdução de alterações no sistema de seguros, alegando que, na maioria dos casos, "não existem seguros para cobrir os estragos" causados pelo mau tempo.
"Temos de desenvolver mais o sistema de seguros para que os agricultores não estejam permanentemente sem nenhuma rede de segurança quando acontece uma intempérie", afirmou João Machado.
O responsável falava à Agência Lusa à margem de uma reunião do conselho consultivo do Baixo Alentejo e Algarve, que decorreu na Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa.
De acordo com o dirigente, a introdução de alterações ao "muito limitado" sistema de seguro em Portugal "é uma das questões" que a CAP tem vindo a discutir com o Governo.
"Como não existem seguros para muitos casos, tem que ser sempre o Estado a criar programas especiais, quando os seguros poderiam entrar na maioria dos casos", realçou João Machado.
O presidente da CAP lembrou que a ministra da Agricultura, Assunção Cristas, "já prometeu criar um programa de facilitação de investimento para a retoma da actividade produtiva" nas propriedades afectadas pelo mau tempo do passado sábado.
Estes apoios "eram absolutamente necessários até porque na maior parte dos casos não existem seguros para cobrir os estragos causados pelas intempéries", vincou o responsável.
A ministra da Agricultura anunciou na segunda-feira que os agricultores com prejuízos provocados pelo mau tempo podem recorrer ao Programa de Desenvolvimento Rural (Proder), com uma comparticipação que pode ir até aos 75 por cento a fundo perdido.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima